Arquivo da tag: vinhos

Harmonização Natalina

O Cardápio da Ceia de Natal escolhido, convidados confirmados mas e as bebidas? O que servir? Qual bebida combina com o tradicional Peru de Natal? E com Panetone?

Com essas dicas você não tem como errar, confira abaixo:

O Clássico Peru de Natal
Escolha os brancos secos, com passagem por barricas, como os Chardonnays da América do Sul ou até um Riesling demi-sec. São excelentes escolhas, pois possuem sabores concentrados, acidez boa, mas não muito alta, e sempre deixam um sabor adocicado na boca.

Carnes de Porco, Lombo, Pernil etc.
A carne de porco é gordurosa mas um tem sabor delicado. Com isso, o mais indicado é um vinho de sabor menos intenso e acidez elevada, como os espumantes, brancos mais leves, rosés delicados como os da Provença e tintos leves como os Pinot Noirs.

Rosés

Aquele Bacalhau
O nosso amado bacalhau tem um sabor forte, com toque salgado e bastante gordura, principalmente dos azeites de oliva. O que pede vinhos com mais intensidade de sabor, uma acidez elevada e nenhum tanino – que, quando entra em contato com o sal do bacalhau, traz sensações picantes e desagradáveis ao paladar. Vá com os espumante com um Champagne ou Cava e vinhos brancos de grande estrutura.

Espumantes

O Salpicão que não pode faltar
Sabe aquele salpicão clássico que leva frango, cenoura, pimentões, seleta de legumes, passas, creme de leite e, algumas vezes, batata palha? Pois é vai super bem com Merlots, Syrahs, Chardonnays, Rieslings e os Cabernets Sauvignon da Califórnia.

As Nuts de Sempre, nozes e castanhas
Os vinhos de entrada, como os espumantes e rosés, são excelentes. Mas a perfeição da harmonização fica com um Jerez.

O amado Panetone
Se for o clássico com frutas cristalizadas harmoniza com os doces espumantes Moscatel. Agora, se for de chocolate, os vinhos do Porto tintos ou o francês Banyuls são as melhores opções.

Espumante Moscatel

Agora que você está preparado, venha até o Empório garantir as bebidas da sua Ceia e torne o seu Natal inesquecível!

Você precisa conhecer essa loja de vinhos na Espanha!

Se você é daqueles que sempre que viajam procuram a loja de vinhos mais próxima, vai adorar conhecer a Vinos&Viandas, localizada na cidade de Valladolid, na Espanha.

Conheça a loja

Loja de vinhos na Espanha

Projetada pela Zooco estudio, a loja foi concebida como uma releitura moderna das tradicionais caves. O espaço surpreende pelo inteligente uso de arcos de madeira, que são justapostos, tanto de forma longitudinal quanto latitudinal, criando o espaço ideal para exibir vinho e promover degustações.

Loja de vinhos na Espanha

Por meio de suas formas arredondadas, o projeto faz referência a tipologias marcantes do universo do vinho. Entre elas, a estrutura dos porões onde a bebida é envelhecida e o formato dos barris de carvalho.

Loja de vinhos na Espanha

Os materiais foram escolhidos a dedo para potencializar a ideia de que o cliente está entrando em templo do vinho. A madeira usada na estrutura de arcos lembra os barris de carvalho, enquanto o piso faz alusão às caves antigas. São ainda usados diversos espelhos que ajudam a potencializar o efeito visual criado pela justaposição dos arcos.

Loja de vinhos na Espanha

Ótima dica para quem pretende viajar para a Espanha! 🙂

O inverno chegou! Saiba quais os vinhos perfeitos para a estação

O inverno chegou e, com ele, aquela vontade incontrolável de tomar uma boa taça de vinho. Dias frias pedem vinhos mais encorpados, na maioria das vezes tintos, que apresentem uma sensação de calor na boca. Para atingir essa sensação uma variação sutil no teor alcoólico é uma boa opção.

Quer saber quais os vinhos perfeitos para essa época do ano? Então, fique de olho na tabela!

Tabela de vinhos para o inverno

No inverno, vinhos tintos devem ser servidos entre 16 e 18 graus, o que dispensa refrigeração. Já o vinho branco deve ser servido entre 9 e 11 graus independentemente da estação do ano.

Dicas de harmonização para o inverno

Carnes vermelhas grelhadas ou com molho leve ficam ótimas acompanhadas de espumantes brut e tintos jovens leves ou de médio corpo. Se o molho for mais forte, aposte em tintos maduros de médio corpo a robusto. Para carnes brancas grelhadas ou com molho leve, espumantes brut, brancos secos de boa estrutura, jovens ou maduros, e tintos jovens ou de médio corpo. Se o molho for mais forte, prefira tintos maduros de médio corpo a robusto.

As massas de molho leve ou branco, por sua vez, combinam com espumantes brut, brancos jovens ou maduros e tintos jovens leves ou de médio corpo. Se o molho for condimentado ou vermelho, espumantes brut de boa estrutura e tintos maduros de médio corpo a robusto.

Outras sugestões:
  • Bruschettas vão bem com vinhos brancos e italianos leves.
  • Estrogonofes de frango ou de carne ficam deliciosos com vinhos rosé.
  • Fondues caem bem com tintos médios, como Carménère ou Cabernet do Chile, Merlot do Brasil e Côte Du Rhône.
  • Pizza de margherita combina com vinhos Shiraz (ou Syrah), italianos leves, Cabernet ou Pinotage sul africanos.

Lembre-se, o importante na hora de harmonizar é combinar um vinho e um prato que, quando servidos juntos, colaborem para ressaltar ainda mais as características um do outro, criando um conjunto sensorial prazeroso.

Ficou com vontade? Você pode encontrar uma variedade de vinhos em nossa loja virtual e receber na comodidade da sua casa!

Veja muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Ama vinhos? Então você precisa se hospedar nesse castelo na Itália

É amante de vinhos e está sem destino para as próximas férias? Conheça o Castello di Semivicoli, localizado em Chieti, província italiana da região de Abruzos. O castelo é propriedade da família Masciarelli, produtora de vinhos conhecida na região.

Saiba mais sobre o castelo

Construído entre os séculos 17 e 18, o Castello di Semivicoli recebe, desde 2009, turistas entusiastas de vinhos em seus 11 quartos. O responsável pela arquitetura local é Lelio Orio di Zio, famoso por reformar construções históricas.

Em épocas de colheita, os hóspedes são convidados a participar, ajudando a escolher as uvas e aprendendo tudo sobre as plantações e os processos de produção da bebida.

A melhor forma de chegar ao castelo é de carro. A viagem de Roma a Chieti dura cerca de três horas.

Veja muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Linha de vinhos tem renda revertida a abrigo para animais abandonados

Os amantes dos animais vão adorar essa notícia: uma vinícola da cidade de King Ferry, localizada no norte do estado de Nova York, reverte parte da renda de uma linha de vinhos a um abrigo para animais abandonados.

A vinícola em questão é a Treleaven Wines, a linha é a Sophistocrats e a instituição é a Tompkins County Society for the Prevention of Cruelty to Animals, ligada à Society for the Prevention of Cruelty to Animals (SPCA), ONG que congrega várias entidades em prol do bem-estar animal em todo o mundo.

Na Treleaven, uma vinícola familiar de 100 mil metros quadrados, são cultivadas as uvas Chardonnay, Riesling, Pinot Noir, Gewürztraminer, Cabernet Franc e Vidal.

A Sophistocrats é composta por três vinhos de mesa, que receberam os nomes de Bruno, Charlie e Jinx. Os rótulos trazem ilustrações coloridas e divertidas de cães e gatos e as rolhas são desenhadas com figuras de pets.

O vice-presidente da vinícola, Lev Saltonstall, afirma que a ideia é que apaixonados por vinhos também abracem a causa animal e a tornem parte de suas vidas.

A iniciativa é um sucesso e fica de inspiração para outras marcas!

Linha inspirada em pets

 

Ioga no vinhedo? Vinícola na Inglaterra oferece retiro aos visitantes

A vinícola Hambledon, localizada em Hampshire, Inglaterra, e a instrutora de ioga Vickie Williams se uniram para lançar uma série de retiros de ioga, cada um em uma estação do ano.

“Fizemos um mergulho para entender profundamente como as mudanças das estações se aplicam às nossas vidas”, explicou Williams. Durante o retiro de outono, por exemplo, os visitantes meditaram com foco em três coisas que realizaram durante o verão.

Em outra meditação, denominada “meditação de liberação de folhas”, eles eram questionados sobre o que estavam dispostos a soltar, simbolizando o período em que as videiras são cortadas e ficam adormecidas, reconstruindo suas reservas de energia.

Segundo a gerente da vinícola, Katrina Smith, existe uma grande sinergia entre a vinificação e a ioga, uma vez que ambas falam sobre se conectar e trabalhar em conjunto com a natureza.

O próximo retiro será realizado em 10 de junho e custará £ 85. Ele dura sete horas e também inclui um passeio pelas vinhas, almoço e degustação de vinhos.

Veja muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Vinhos de mesa e vinhos finos: você sabe a diferença?

Você provavelmente já deve ter ouvido os termos vinhos de mesa e vinhos finos por aí. Mas o que distingue um do outro?

A diferença entre as duas bebidas está no tipo de uva utilizado. A videira pertence ao gênero Vitis, que possui mais de quarenta espécies, entre as quais a Vitis vinifera, que, por sua vez, conta com mais de cinco mil variedades, como as famosas Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay.

Os vinhos produzidos a partir das uvas Vitis vinifera são os chamados vinhos finos e conhecidos pela sua altíssima qualidade. São límpidos e brilhantes, lembrando frutas, notas florais e uma infinidade de outras percepções, tanto no olfato quanto no paladar.

Já os vinhos produzidos a partir de outras espécies, como Vitis labrusca, Vitis rupestris, Vitis riparia e Vitis bourquina, são chamados de vinhos de mesa. Eles são mais adequados para o consumo direto e possuem qualidade inferior. Geralmente são opacos, têm aromas rústicos e paladar muito simples e intenso. Seu grande atrativo está no preço.

Lembre-se!

Antes de comprar a bebida, leia com atenção todas as informações do rótulo para se certificar de que você está escolhendo o tipo de vinho que procura.

Leia muitas outras notícias e curiosidades aqui!

5 destinos nacionais imperdíveis para quem ama vinhos

Não é preciso ir muito longe para conhecer excelentes vinícolas e degustar vinhos de alta qualidade. Conheça cinco destinos turísticos no Brasil perfeitos para apreciar a bebida e conhecer novas culturas e paisagens deslumbrantes:

Bento Gonçalves

A Serra Gaúcha é a região mais famosa do país quando se trata da produção de vinho, graças ao clima propício e à forte presença dos imigrantes italianos que chegaram à região no século XIX – lá é produzido cerca de 90% do vinho brasileiro! Bento Gonçalves carrega o título de Capital Brasileira da Uva e do Vinho e faz parte do Vale dos Vinhedos, umas das regiões vitivinícolas mais importantes. Quem visita a cidade de janeiro a março tem a oportunidade de acompanhar a vindima, período entre a colheita da uva e a produção da bebida. Durante essa época acontece o Festival Bento em Vindima, no qual turistas podem participar da colheita e da pisa das uvas, tradicional método para extração do suco da fruta. Vale a pena visitar a Vinícola Salton, uma das principais do país, com mais de 100 anos de tradição e a Vinícola Aurora, a mais premiada da região. Gramado, Canela e Caxias do Sul também valem a visita – nessa última, aliás, há a vinícola Lacave, cujo castelo construído em arquitetura medieval é um espetáculo à parte.

Serra Catarinense

Os vinhos catarinenses são produzidos nas regiões do Vale Europeu, dos Encantos do Sul e nos Roteiros Nacionais de Imigração, mas é a Serra Catarinense, formada por São Joaquim, Lages e Urubici, o maior polo de produção e turismo relacionado à bebida. A grande maioria das cepas utilizadas é europeia e a qualidade das bebidas se assemelha aos melhores rótulos do Velho Mundo. Ideal para quem gosta de curtir um friozinho e a paisagem formada por araucárias.

Sul de Minas

Repleta de colônias italianas, essa região possui vinícolas que produzem saborosos vinhos tintos, brancos e rosés. As produções, que variam de rótulos artesanais aos de produção em larga escala, podem ser visitadas por turistas e oferecem saborosas degustações. O município de Andradas organiza no mês de julho a Festa do Vinho, ótima oportunidade para provar os melhores rótulos da região. De quebra, você ainda pode saborear as delícias da culinária mineira!

São Roque

Em São Paulo também existe um cantinho especial para os apaixonados por vinhos. São Roque, considerada a rota dos vinhos mais popular do Sudeste, fica a apenas 66 quilômetros da capital e seu roteiro inclui gastronomia, cultura, religião e aventura, garantindo um passeio que agrada a família inteira. O Roteiro do Vinho é uma rota asfaltada com 31 estabelecimentos distribuídos por três vias, que inclui vinícolas, adegas e restaurantes. Os visitantes podem fazer paradas para degustar a bebida, visitar sítios, ranchos, pesqueiros, plantações de uvas e alcachofras, adegas e ainda saborear comidas típicas da região. Visite a vinícola Góes, a mais famosa e a única que cultiva as desejadas uvas Cabernet Sauvignon.

Vale do São Francisco

Localizado entre Pernambuco e Bahia, o Vale do São Francisco conta com seis fazendas produtoras e detém cerca de 15% do mercado nacional, sendo responsável por uma das maiores produções de espumantes e moscatéis de qualidade do Brasil. O clima quente e a água para irrigação em abundância devido à presença do Rio São Francisco fazem com que as plantas se desenvolvam durante o ano todo e possibilitam que a região seja a única a produzir duas safras e meia ao ano. Visite as vinícolas Santa Maria, a maior do estado, e Ouro Verde, parte do Grupo Miolo.

12 destinos internacionais imperdíveis para amantes de vinho

Em todos os cantos do mundo, da América do Sul à Austrália, há boas opções de passeios para os apreciadores de vinho. Cada local tem suas particularidades de uvas, sabores e texturas, além de paisagens de tirar o fôlego. Conheça os 12 destinos imperdíveis fora do Brasil para os amantes da bebida:

Mendoza, Argentina

Com clima seco e terras de boa qualidade, Mendoza produz 70% dos vinhos argentinos. Cercada por montanhas e belezas naturais, possui milhares de hectares de vinha, o que a coloca no topo do enoturismo. A cidade oferece adegas com arquitetura impressionante, novos hotéis e gastronomia em expansão.

Valle de Colchagua, Chile

A 130 quilômetros de Santiago, é o maior produtor de vinhos finos do Chile. A visita pode começar na cidade de Santa Cruz, de onde partem os passeios para as principais vinícolas da região, entre elas a Viña Lapostolle. No local, os turistas também podem conhecer o Museu de Colchagua, dedicado à bebida, e embarcar no Trem do Vinho, uma locomotiva a vapor que passa por diversos vinhedos.

Valle de Guadalupe, México

A qualidade do vinho nessa região tem aumentado consideravelmente ao longo dos últimos anos. As vinícolas se uniram a chefs e hoteleiros para criar a rota do vinho, conhecida como Baja Ruta del Vino.

Napa Valley, Estados Unidos

Localizado na Califórnia, o Vale do Napa tem 150 vinícolas que cultivam mais de cem tipos de uva, como Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot e Pinot Noir. No roteiro, a passagem pelas cidades de American Canyon, Calistoga, Santa Helena, City of Napa e Yountville são obrigatórias . Ainda nos Estados Unidos, outra boa parada é o Texas, quinto maior produtor de vinhos do país e local repleto de novas adegas e salas de degustação.

Stellenbosch, África do Sul

Com mais de 200 produtores, a Rota do Vinho da cidade de Stellenbosch tem sido roteiro frequente entre os enólogos e apreciadores da bebida. A cerca de 50 quilômetros da Cidade do Cabo, tem clima bastante favorável ao plantio de uvas, com forte calor de dia e baixas temperaturas à noite.

Baden, Alemanha

Castelos, florestas de coníferas, paisagens exuberantes e águas termais compõem o ambiente repleto de variedades Pinot e Riesling. Vale provar as diferenças entre vinhos cultivados em solos de granito, bassalto e loess.

Languedoc, França

Maior região produtora de vinhos do mundo, Languedoc está no ensolarado sul da França, banhada pelo Mar Mediterrâneo e pelas Montanhas Negras. Destaca-se por sua vasta extensão de uvas e múltiplas paisagens. Outro destaque do país fica por conta da região de Champagne, onde são produzidas as famosas garrafas de champagne. De lá vem os tradicionais Perrier Jouet, Dom Perignon e Moët & Chandon.

Toscana, Itália

Com clima e terras bastante propícios para o plantio da uva, a região da Toscana produz vinhos de máxima qualidade, como Sangiovese, Canaiolo, Malvasia e Trebbiano. É ali que se fabrica o prestigiado Brunello de Montalcino, um dos tintos mais celebrados do país. Com mais de 7 mil vinhedos, o turista pode percorrer desde a região da cidade de Livorno até a divisa com Lazio, além das colinas entre as províncias de Florença e Siena.

Porto, Portugal

Nos vinhedos às margens do rio Douro nasce grande parte das uvas para a produção do famoso vinho do Porto. No local, os turistas encontram desde pequenos produtores até grandes vinícolas, onde é possível até mesmo participar da colheita. No entorno, museus, enotecas e construções históricas dão um charme especial ao destino.

La Rioja, Espanha

A região de La Rioja conta com mais de 500 adegas. Na cidade de Haro é realizado o famoso festival Batalla del Vino, onde uma multidão vestida de branco se reúne para uma “guerra” de vinho tinto, disparado por pistolas de água.

Marlborough, Nova Zelândia

Com 160 vinícolas, Marlborough é a capital do vinho da Nova Zelândia. A viticultura na região começou no início dos anos 1980. Foi com o vinho Sauvignon Blanc que Marlborough foi reconhecida mundialmente pela qualidade de produção. Em terras ensolaradas e secas, são cultivadas uvas Pinot Noir, Chardonnay, Riesling, Pinot Gris e Gewurztraminer.

Hunter Valley, Austrália

Hunter Valley fica a apenas duas horas de Sydney. Entre as atrações mais apreciadas pelos amantes da bebida estão os centenários campos de uvas Semillon. Ao todo, são mais de 80 vinícolas na região, onde se pode conhecer os métodos de cultivo da uva, o processo de produção e, é claro, degustar alguns rótulos.

 

 Com informações do UOL