Arquivo da tag: harmonização

O inverno chegou! Saiba quais os vinhos perfeitos para a estação

O inverno chegou e, com ele, aquela vontade incontrolável de tomar uma boa taça de vinho. Dias frias pedem vinhos mais encorpados, na maioria das vezes tintos, que apresentem uma sensação de calor na boca. Para atingir essa sensação uma variação sutil no teor alcoólico é uma boa opção.

Quer saber quais os vinhos perfeitos para essa época do ano? Então, fique de olho na tabela!

Tabela de vinhos para o inverno

No inverno, vinhos tintos devem ser servidos entre 16 e 18 graus, o que dispensa refrigeração. Já o vinho branco deve ser servido entre 9 e 11 graus independentemente da estação do ano.

Dicas de harmonização para o inverno

Carnes vermelhas grelhadas ou com molho leve ficam ótimas acompanhadas de espumantes brut e tintos jovens leves ou de médio corpo. Se o molho for mais forte, aposte em tintos maduros de médio corpo a robusto. Para carnes brancas grelhadas ou com molho leve, espumantes brut, brancos secos de boa estrutura, jovens ou maduros, e tintos jovens ou de médio corpo. Se o molho for mais forte, prefira tintos maduros de médio corpo a robusto.

As massas de molho leve ou branco, por sua vez, combinam com espumantes brut, brancos jovens ou maduros e tintos jovens leves ou de médio corpo. Se o molho for condimentado ou vermelho, espumantes brut de boa estrutura e tintos maduros de médio corpo a robusto.

Outras sugestões:
  • Bruschettas vão bem com vinhos brancos e italianos leves.
  • Estrogonofes de frango ou de carne ficam deliciosos com vinhos rosé.
  • Fondues caem bem com tintos médios, como Carménère ou Cabernet do Chile, Merlot do Brasil e Côte Du Rhône.
  • Pizza de margherita combina com vinhos Shiraz (ou Syrah), italianos leves, Cabernet ou Pinotage sul africanos.

Lembre-se, o importante na hora de harmonizar é combinar um vinho e um prato que, quando servidos juntos, colaborem para ressaltar ainda mais as características um do outro, criando um conjunto sensorial prazeroso.

Ficou com vontade? Você pode encontrar uma variedade de vinhos em nossa loja virtual e receber na comodidade da sua casa!

Veja muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Aprenda a harmonizar vinhos com a sua pizza preferida

Muito se fala sobre harmonizar vinhos com carnes, peixes e massas, mas você já parou pra pensar que seu sabor preferido de pizza também pede uma combinação específica? Para ajudá-lo nessa missão, selecionamos os sabores mais pedidos nas pizzarias e indicamos seu par perfeito, confira!

– Pizza de calabresa ou pepperoni + Cabernet Sauvignon

Embutidos, como calabresa e pepperoni, são bem salgados e condimentados. Eles pedem vinhos de sabor intenso, mais frutado e com taninos marcantes – portanto, nada melhor que um belo Cabernet Sauvignon! A de peperoni também combina com vinhos produzidos com a uva Riesling, ácida e de sabor discretamente adocicado.

– Pizza de mussarela + Merlot ou Chardonnay

Esse queijo é gorduroso e salgado, por isso vale a pena investir em vinhos mais leves, com alta acidez e poucos taninos. Se forem macios, melhor ainda. Entre os tintos, vá de Merlot; se preferir os brancos, escolha um Chardonnay.

– Pizza Marguerita + Sangiovese

Os vinhos produzidos com a uva Sangiovese, como os bons Chianti, são os melhores parceiros para essa pizza. Os taninos discretos, seu toque frutado e sua acidez contrastam com a gordura do queijo e acompanham as notas frutadas do tomate e heráceas do manjericão.

– Pizza de atum + vinho rosé

O atum tem um sabor forte e não é um peixe leve como os demais. A dica aqui é apostar em um rosé, não tão leve quanto um branco, mas também não tão pesado quanto um tinto. Na medida!

– Pizza de quatro queijos + Pinot Noir, Barbera ou espumante

Esqueça os taninos, eles estragariam essa intensa e harmoniosa combinação de queijos. Opte por vinhos mais ácidos, como Pinot Noirs e Barberas. Outra boa dica são espumantes, já que suas borbulhas  limpam o paladar como nenhum outro vinho. Escolha espumantes produzidos com Chardonnay e se surpreenda com o sabor dessa harmonização!

– Pizza de rúcula com tomate seco + Sauvignon Blanc

É uma pizza bem leve, que se destaca pelos toques herbáceos. A melhor opção é um Sauvignon Blanc, que é discretamente ácido e que não vai competir com o sabor da sua fatia. Pizzas de outros vegetais, como de abobrinha, também ficam uma delícia com esse vinho!

– Pizza Portuguesa + Jerez

Uma das mais difíceis de harmonizar devido à grande quantidade de ingredientes. Um dos únicos vinhos capazes de harmonizar ovo, e que ainda vai conversar bem com o presunto, é o Jerez, bem seco, ácido e com notas minerais, salinas e amendoadas. Um Merlot também pode cair bem.

– Pizza de frango com catupiry + vinho rosé ou Pinot Noir

O vinho escolhido deve aguentar a gordura e corpo do queijo e a delicadeza do frango. Opte  por vinhos rosés ou Pinot Noir – ambos possuem corpo leve e discreta acidez.

– Pizza de cogumelos + Carménère

Para destacar o sabor de cogumelos frescos, como o shimeji, o shitake, e até mesmo o champignon, nada melhor que um vinho terroso, como o Carménère.

– Pizza Baiana + Gewürztraminer

Para pizzas apimentadas, experimente vinhos produzidos com a uva branca Gewürztraminer. Vinhos da uva Syrah, que possuem leves notas frutadas e frescas em seu aroma e paladar, também vão bem.

– Pizzas doces

Pizzas doces pedem vinhos também mais doces, então a dica é harmonizar com um vinho de sobremesa, um vinho do Porto ou os espumantes Moscatel ou Asti.

E aí, gostou das dicas? Então, escolha sua pizza favorita e bom apetite!

Vinho e Chocolate: a combinação perfeita pra Páscoa

Você já imaginou conseguir juntas essas duas delícias e ter uma agradável surpresa? 

O chocolate é considerado o alimento mais difícil para se harmonizar com vinho, porque ele é forte, gorduroso e doce – três características que dificultam a combinação. 

Alguns especialistas dizem que os chocolates e doces só combinam com vinhos doces, ou seja, os de sobremesa. Mas, há controvérsia: e a mistura de chocolates e tintos pode ser surpreendente. 

O “segredo”, é optar por chocolates menos doces, com pelo menos 50% de cacau. 

choco2

Mas, qualquer chocolate pode sim, te trazer uma grata surpresa! Escolha seu chocolate preferido e confira nossas dicas: 

  • Chocolate branco: O mais doce dos chocolates pode ser degustado com vinho branco ou tinto. Excelente para harmonização com espumante moscatel, por serem mais gordurosos, as borbulhas e acidez do espumante ajudam a “limpar o paladar”. 
  • Chocolate ao leite: No chocolate ao leite o cacau começa a aparecer e a pedir “algo mais”. Tente com espumante brut ou seu Merlot preferido, e claro, o Moscatel entra aqui mais uma vez como sugestão. 
  • Chocolate meio amargo: Quanto maior o teor de cacau, mais fácil fica de harmonizar com vinho. Chocolates com 50% de cacau são de fácil combinação e podem ser acompanhados com diversos tipos de tintos, sejam eles jovens ou encorpados. Boas dicas são o Cabernet Sauvignon, Shiraz e Merlot. Eleja seu preferido e aproveite!
  • Chocolate amargo: Para os chocolates com mais de 70% de cacau, experimente tintos secos sem passagem por madeira, como um Merlot jovem. Mais cacau que isso? Vale escolher vinhos com mais “presença”,  como Cabernet e Malbec. 

Outono: hora de curtir seu vinho tinto!

Com aromas mais complexos, o vinho tinto é a preferência da maioria das pessoas. Queijos, massas e carnes são ótimos pratos para acompanhar um bom vinho. Feito de diversos tipos de uva,  as mais conhecidas e apreciadas  são pinot noir, cabernet sauvignon, malbec e merlot.

Com o fim do verão, a bebida parece combinar com qualquer momento! Um jantar especial em família, uma reunião com os amigos, uma taça enquanto descansa no sofá de casa…

E por que não, adicionar uma parceira prática nesses momentos?

Hoje, vamos de bruschetta! Bruschetta e vinho é certeza de sucesso! Feita com pão italiano levemente tostado e azeite, a cobertura variada é versátil e perfeita para receber os amigos – ou pra você se deliciar quando quiser!

Harmonização está longe de ser “frescura”, e depois que se faz uma vez fica difícil não querer experimentar novas experiências – ainda mais quando é fácil e rápido de preparar, não é?

Aqui vão duas receitas pra você harmonizar com seu tinto:

classica
A clássica e deliciosa.

Tradicional

– Pão italiano
– 1 tomate pequeno para cada fatia de pão
– Azeite de oliva
– Alho
– Mozzarela
– Manjericão fresco
– Sal

1. Corte o pão italiano em fatias. Mais ou menos na grossura de um dedo.
2. Corte os tomates em 4 partes e retire as sementes.
3. Corte os tomates em cubos.
4. Em uma panela, aqueça o azeite levemente. Refogue o alho e depois os tomates, por aproximadamente 2 minutos. Não deixe o tomate virar molho. Esse passo evita que o tomate caia do pão no momento de servir.
5. Coloque um pouco de azeite no pão.
8. Adicione o tomate, a mozzarela, o manjericão e um pouco de sal. Leve ao forno pré-aquecido a 10 minutos a 180 graus e deixe por 5 minutos (tempo do pão dourar).

bruschette
Pesto + queijo: a combinação perfeita pro seu tinto!

Especial

– Pão italiano
– Tomates
– Azeite de oliva
– Alho
– Pimenta do Reino
– Pesto
– Burrata (ou brie)

1. Pré-aqueça o forno a 350 graus.
2. Corte o pão italiano em fatias. Mais ou menos na grossura de um dedo.
3. Regue com azeite de oliva, em seguida, esfregue um dente de alho cortado.
4. Asse até ficar dourado.
5. Retire do forno e acrescente  seu pesto favorito, burrata e tomates cereja e pimenta do reino.
6. Asse até que o queijo seja derretido e os tomates estejam ligeiramente torrados.

Gostou? Que tal preparar essas bruschettas, escolher seu tinto favorito e curtir muito o fim de semana?

Bom apetite e tin-tin!


Conheça AQUI, alguns dos nosso vinhos tintos!

O clássico vinho branco no verão

Tudo que é clássico, só é clássico por um motivo: dá certo!

Diferentemente do vinho tinto, o branco é servido gelado e é ótima companhia para peixes e frutos do mar. Melhor combinação do que essa pro nosso verão: impossível! Leves e refrescantes, são acompanhantes ideais para os dias de sol à beira da piscina, na praia ou onde você quiser.

O vinho branco costuma agradar todos os paladares, o que faz dele um ótimo protagonista em festas!

As mais conhecidas e usadas uvas:

Chardonnay: É a principal uva branca. Graças à facilidade de cultivo, resistência e produtividade, espalhou-se pelo mundo, sendo a base de vinhos brancos muito secos. É a uva do Chablis e produz vinhos excelentes na Borgonha, na França. É encontrada na Califórnia (EUA), Chile, Argentina e Brasil.

Moscatel: Bastante espalhada pelo mundo. É encontrada na França, em Portugal, na Austrália e no Brasil.

Riesling: Pode ser encontrada tanto em regiões frias, como áreas da França e da Alemanha, como em áreas quentes, como Austrália e Brasil. Pode dar origem tanto a diferentes tipos de brancos, do mais seco ao mais doce.

Sauvignon Blanc: Encontrada nas regiões francesas de Bordeaux e do centro do Loire, estão presentes também no Brasil e no Chile.

E a comida?

Os vinhos brancos, sejam eles jovens e frutados ou encorpados e fermentados, são melhores quando harmonizados com peixes e frutos do mar, e quase nunca combinam com comidas muito temperadas e carnes vermelhas.

Também vai bem com: aves assadas, queijos, entradas, aperitivos e sobremesas.

Aqui vai uma receita simples pra você preparar e aproveitar junto com seu branco favorito:

camarao

Camarão ao Alho e Óleo

Ingredientes

  • 1kg de camarão médio
  • 1/2 xícara de óleo
  • 10 dentes de alho
  • Sal a gosto
  • Pimenta (escolha sua preferida!)

Modo de Preparo

  1. Lave os camarões com casca, retirando a cabeça e deixando ele pronto pra consumo
  2. Descasque os dentes de alho, cortando-os ao meio
  3. Frite bem o alho no óleo (bem passado)
  4. Coloque os camarões em uma panela com tampa, polvilhando com um pouco de sal e pimenta, até ficarem dourados
  5. Se quiser, acrescente algum tempero especial: manjericão, louro, salsinha…
  6. Pronto! Coloque em pequenos bowls, despejando sobre ele, o óleo com o alho!

Bom apetite!

Conheça nossa seleção de vinhos brancos, clicando AQUI!

Uma cerveja única: Trignac XII

A Cerveja Trignac XII é uma de coloração dourada e sabor único.

A Kasteel Triple é a base da Trignac XII que entra nos barris de carvalho (que antes de servirem para a maturação da cerveja são usados para amadurecer conhaque francês em um processo lento que dura dois anos e meio) com teor alcoólico de 11% ABV e após o processo de maturação é engarrafada com 12% ABV. Isso se deve ao fato de que as barricas utilizadas contém certa quantidade de conhaque absorvidos pela madeira e liberados na cerveja durante o amadurecimento.

trignac

Não há como escapar do doce aroma de uvas e do impacto do álcool, dando uma leve impressão de vinho, com um sabor tendendo para o conhaque. O álcool preenche plenamente a boca e dá uma sensação agradavelmente quente.

Esta é a cerveja mais exclusiva produzida pela Castle Brewery Van Honsebrouck e também a mais alcoólica.

Vale a pena experimentar! É uma cerveja de sabor inesquecível!

Perfeita para desfrutar lentamente  ou com um prato de queijos.


Mas por que não, com aperitivos? A gente compartilha uma receita fácil de preparar pra você combinar com sua cerveja preferida – a Trignac XII ou qualquer outra!

Batatas Assadas com Ervas e Queijo Parmesão 

Ingredientes :

  • 4 batatas fatiadas no comprimento (com casca)
  • Azeite de oliva
  • 3 dentes de alho picadinho
  • Temperos e sabores à vontade
  • 1/2 xícara de queijo parmesão (de preferência, ralado na hora – é muito mais gostoso!)
  • Sal a gosto
  • Salsinha, cebolinha e verdinhos à vontade! (capricha!)

aperitivo

Como faz :

  1. Pré-aqueça o forno em 180ºC e unte uma forma retangular com um pouquinho de azeite;
  2. Em uma tigela grande, coloque as batatas, regue com azeite e misture. Reserve;
  3. Em uma frigideira, frite o alho picadinho até quase ficarem amarelinhos (2 pontos abaixo de dourar, porque ainda vai ao forno). Reserve;
  4. Em uma tigela menor, misture os temperos (ervas, pimentas…) e o sal;
  5. Com as batatas dispostas na forma com a casca para baixo, polvilhe o parmesão ralado na hora, o alho e, em seguida, polvilhe a mistura de ervas e temperos;
  6. Asse até ficarem douradas – de 25 a 30 minutos, depende do forno, retire do forno, salpique a salsinha, cebolinha e outros verdinhos  e pronto!
  7. Dica de ouro: Experimente mergulhar num creminho de gorgonzola… ou até no ketchup rústico!

Aproveite a dica e o calor! Tin-tin!

 

O que beber na Ceia de Natal?

Não só de peru, tender e torta de nozes se faz uma Ceia. A escolha da bebida que irá acompanhar essa noite tão especial, faz toda a diferença.

Você pode optar por servir seu vinho preferido a noite toda – é uma escolha acertada, simples, e também muito charmosa! Aquele vinho que você gosta de servir em ocasiões especiais tem motivo de sobra pra aparecer na noite de Natal, não é? Nada de frescura! Você precisa aproveitar os bons momentos.

Se você quer oferecer diferentes opções durante a noite, aqui vão algumas dicas:

Antes da Ceia

Na hora das entradinhas – que podem ser petiscos, canapés, bruschettas e infinitas opções – escolha uma bebida com leveza e frescor.  A melhor pedida é sempre um espumante, mas você também pode servir um rosé. Qualquer um deles pode ser uma excelente pedida para o começo da noite, enquanto todos estão chegando.

entrada

Durante a Ceia

Os tradicionais pratos como peru, chester e tender não podem faltar no jantar natalino. Essas aves, pedem um vinho menos tânico – boas escolhas são tintos produzidos à base de Pinot Noir, Grenache, Shiraz ou Zinfandel. Se seus convidados preferirem vinho branco, sirva Sauvingnon Blanc, Viognier ou Chenin Blanc.

Lembra do rosé que pode ser servido na entrada? Ele também vai muito bem durante a Ceia. Com certeza torna a noite mais marcante e os sabores mais especiais!

Se você preferir servir peixe – como o bacalhau – , um ótimo acompanhamento é o vinho verde, que é mais fresco e leve. Para uma agradável surpresa, experimente um bom tinto português com uvas nativas, como Touriga Nacional, Trincadeira e Tinta Roriz.

Hora da sobremesa!

Frutas secas, torta de nozes, e outros muitos tipos de sobremesa, também são indispensáveis na ceia de Natal! É a hora certa de servir uma bebida mais adocicada. Os espumantes de uva moscatel é a escolha à prova de erros que agrada todos os paladares!

sobremesa

Para uma noite especial, não existem segredos! Resumindo uma boa ideia: um espumante de entrada e um tinto ou branco seco na sequência. Pronto!

Lembre-se que o objetivo é brindar e comemorar a data! Tin-tin!

 

Beber e comer bem: Incremente sua ceia!

Arroz com passas, peru, bacalhau, chocolate, cheesecake e outros mil tipos de sobremesa! Essa época do ano é um convite à comer e beber BEM.

Reunir a família e os amigos é sem dúvida, uma das maiores alegrias do fim do ano, não é? Você prepara pratos natalinos, escolhe as melhores bebidas, compra presentes e decora a casa.

E que tal deixar a ceia desse ano, ainda mais especial? Um simples toque a mais, como uma boa geléia, um bom azeite ou até uma pimenta diferente pode fazer a noite ser ainda mais deliciosa!

O segredo de um grande chef é, muitas vezes, boa escolha de ingredientes. Só quem já provou um prato simples feito com ingredientes especiais, sabe o sabor de uma excelente escolha!

Não sabe por onde começar? Espia essas dicas:

  1. Ketchup Rústico Defumado

Na hora dos aperitivos, fuja do comum e sirva pequenos petiscos com um toque desse ketchup defumado! Diferente e surpreendente! Definimos essa receita como: nem tão adocicada, nem tão avinagrada. Aqui, prevalece o sabor do tomate e condimentos para surpreender o paladar.  Ótimo para todo tipo de finger foods (comidas para se comer com a mão!)!

finger

2. Um bom azeite 

Azeite dá para tudo e serve pra tudo! Um azeite saboroso influencia e muito no sabor final de qualquer prato. Experimente regar alguns pratos, adicionando também algumas folhas de manjericão: sucesso na certa!

brusch

3. Pimentas

Pra incrementar a salada ou servir junto com a carne principal, molho de pimenta é sempre uma boa escolha. Ao seu gosto, você pode ir das mais tradicionais às mais ousadas, como um molho de chipotle com goiaba – fica a indicação: é INCRÍVEL!

decabron

4. Flor de Sal

Sim! Até o sal pode ser especial! A flor de sal é muito utilizada como “sal de mesa” e é ótima para temperar alimentos depois de prontos, além de conferir uma leve crocância. Experimente colocar uma pitada no azeite de oliva utilizado para molhar o pão italiano, ou ainda finalizar aquela sobremesa especial de caramelo salgado! Uma ótima pedida, ein?

puding

O que beber na ceia de Natal? 

Muitas são as opções. Servir um único vinho, a noite toda, é inclusive, uma delas. Nesse caso, compre seu vinho preferido – aquele que você espera para apreciar nas datas mais importantes!

Mas, se for oferecer diferentes opções durante a noite, não perca nosso próximo post!

 

Vinho sem frescura: com churrasco

Experimente chegar naquele churrasco com os amigos, levando uma garrafa de vinho. A primeira coisa que você provavelmente ouvirá é: “Churrasco combina mesmo é com cerveja gelada!”.

Ok. Poucas coisas soam tão brasileiras do que a combinação cerveja e churrasco, e até com aquela caipirinha pra acompanhar… mas não se engane: vinho combina e MUITO com churrasco! A experiência costuma ser surpreendente.

churras

Comece com um frisante leve, gelado… aquele vinho que serve como um verdadeiro aperitivo.

Nos acompanhamentos:

Frango: carnes brancas leves, mas com um pouco de gordura, pedem vinhos aromáticos e com acidez equilibrada, como um Sauvignon Blanc.

Linguiça: Em seu ponto ideal, a linguiça é super suculenta e tem certa gordura. Que tal um amigável Espumante Rosé Brut?

Em via de regra, sal e tanino são duas coisas que não combinam (chegam, inclusive, a brigar na boca), portanto, quanto mais salgada a carne, menos tanino deve ter o vinho e vice -versa. Se gordurosa, será bem-vindo um vinho com maior acidez e taninos.

Por exemplo: quando preparada da maneira correta, a picanha, carne que dificilmente falta num churrasco, é bastante macia, fibrosa e ainda tem uma capinha de gordura, na qual é envolvida (hmmmm!). Para segurar tudo isso? Experimente os taninos e acidez de um Malbec. 

Já fibrosa e macia, porém sem muita gordura, a fraldinha é uma carne que não exige tanto corpo de um vinho. Um vinho igualmente macio, fácil e com taninos redondos? Merlot!

“Está fazendo calor, como vou beber vinho?” Essa é simples, não é? Refresque-o! Não tenha medo de deixar seu tinto fresquinho pra essa harmonização, que com todo certeza, será uma agradável experiência.

Carne na brasa, vinho na taça e bom churrasco!

 

Vinho rosé: é só pra mulher?

Vive La Diffèrence! Afinal, por que não dar uma chance ao vinho rosé?

Para gostar de vinho rosé, você deve entender que ele representa um estado de espírito, um estilo de vida. Talvez, por isso, ele tenha a fama de “vinho pra mulher”, mas… não é bem assim!

Parte do baixo consumo se deve a um pouco de preconceito, pois ainda é comum ouvir por aí que “vinho rosé é feito com vinho tinto misturado com vinho branco” ou “vinho rosé é um vinho mais simples”.

Essas duas afirmações não são verdadeiras (para nossa felicidade, é claro!). Todo vinho rosé é feito com uvas tintas. O que dá a cor ao vinho é o tempo que ele fica em contato com a casca. São vinhos jovens!

Um pouco de história: na milenar história do vinho, os vinhos claros sempre tomaram conta do cenário. Evidentemente, o termo rosé não era empregado, mas o aspecto lembrava muito essas cores rosadas, alaranjadas e as várias tonalidades assumidas pelo rosé. Além disso, era muito comum fermentarem juntas, uvas brancas e tintas.

O rosé que conhecemos hoje, nasceu na Provence (França) há, mais ou menos, 2.600 anos e são os vinhedos mais antigos da França.

É um vinho charmoso que apresenta os aromas dos tintos, de forma mais graciosa e sutil, como frutas vermelhas, groselha, alguns florais (violeta) e na boca, apresenta o frescor de um vinho branco. A cor pode variar entre o pérola e salmão, passando pelas várias tonalidades de rosa, até o rubi claro e tons alaranjados.

E adivinha? Não é um vinho caro e sim, é SEM frescura – como todo vinho, aliás!

Sabe o que combina com vinho rosé? O calor brasileiro! Se você ainda não teve chance de experimentar um bom vinho rosé, aproveite nosso clima e faça o teste!

rose2

Servido frio – entre 8° e 10°C – o rosé vai bem com aperitivos, queijos suaves, sanduíches, comida asiática, carne de porco, aves, massas com molhos suaves, saladas, salmão, atum, mariscos, frutos do mar, frutas e sobremesas.

Com certeza você descobri que o vinho rosé tem seu charme – o sabor é realmente delicioso! Claro, o que manda é o gosto pessoal, que cada um vai descobrir e cultivar com base na própria experiência.

Deixe o preconceito de lado e experimente! Com certeza, você não irá se arrepender! Tin-tin!