Arquivo da categoria: Vinhos

Vinícola da Califórnia oferece wine tour para cães

Você é do tipo que leva seu cachorro para onde for? Então, vai adorar essa notícia: na Califórnia, é possível visitar uma vinícola, a Calistoga Ranch, na companhia do seu melhor amigo.

A vinícola, que possui 157 hectares e um lago particular, oferece um passeio de três noites criado especialmente para o animal.

As atividades incluem até uma “caçada ao bacalhau defumado”! Além da brincadeira, é possível fazer trilhas ao lado do cão e até mesmo se divertir em uma festa temática.

O que achou da novidade?

Veja muitas outras notícias e curiosidades sobre vinícola aqui!

Pirulito de vinho? Empresa americana aposta em novidade

Mais uma novidade para quem ama vinhos: a empresa Lollyphile, sediada em Austin, no Texas, lançou um pirulito inspirado na bebida.

Os consumidores podem escolher entre os sabores Cabernet Sauvignon, Merlot e Chardonnay. A receita é feita a partir de uma combinação de sabores naturais e artificiais e não leva qualquer traço de vinho e nem álcool – ou seja, liberado para a criançada!

No site da empresa, um pacote com quatro pirulitos é vendido por US$ 8. Há também outros sabores, como negroni e absinto.

Leia muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Vinhos de mesa e vinhos finos: você sabe a diferença?

Você provavelmente já deve ter ouvido os termos vinhos de mesa e vinhos finos por aí. Mas o que distingue um do outro?

A diferença entre as duas bebidas está no tipo de uva utilizado. A videira pertence ao gênero Vitis, que possui mais de quarenta espécies, entre as quais a Vitis vinifera, que, por sua vez, conta com mais de cinco mil variedades, como as famosas Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay.

Os vinhos produzidos a partir das uvas Vitis vinifera são os chamados vinhos finos e conhecidos pela sua altíssima qualidade. São límpidos e brilhantes, lembrando frutas, notas florais e uma infinidade de outras percepções, tanto no olfato quanto no paladar.

Já os vinhos produzidos a partir de outras espécies, como Vitis labrusca, Vitis rupestris, Vitis riparia e Vitis bourquina, são chamados de vinhos de mesa. Eles são mais adequados para o consumo direto e possuem qualidade inferior. Geralmente são opacos, têm aromas rústicos e paladar muito simples e intenso. Seu grande atrativo está no preço.

Lembre-se!

Antes de comprar a bebida, leia com atenção todas as informações do rótulo para se certificar de que você está escolhendo o tipo de vinho que procura.

Leia muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Sabe qual a cidade que mais bebe vinho no mundo? A gente te conta!

Uma pesquisa realizada pela escola de administração francesa INSEEC desvendou o que muitos amantes de vinho têm curiosidade de saber: qual a cidade que mais ingere a bebida no mundo?

A campeã foi Paris, com 697 milhões de garrafas consumidas anualmente!

Confira a lista completa:

(Posição – Milhões de garrafa/ano – Litros per capita/ano)

  1. Paris (França) – 697 – 51,7
  2. Buenos Aires (Argentina) – 457 – 32,2
  3. Ruhr (Alemanha) – 385 – 28,5
  4. Londres (Reino Unido) – 369 – 24,7
  5. Nova York (Estados Unidos) – 308 – 12,1
  6. Milão (Itália) – 301 – 38,9
  7. Los Angeles (Estados Unidos) – 241 – 12,1
  8. Nápoles (Itália) – 188 – 38,9
  9. Madri (Espanha) – 181 – 25,2
  10. Roma (Itália) – 177 – 38,9

Leia muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Marca produz espumantes para grávidas

Uma marca de vinhos criada especialmente para grávidas? Ela existe e se chama 9Months!

O nome, “9 meses”, em português, faz referência ao tempo gestacional das mulheres. Sua criadora, a consultora de vinhos Carrie Marvin, afirma que a marca foi pensada em si mesma e em todas as mulheres grávidas impossibilitadas de beber durante a gestação.

Método de produção

A 9Months produz espumantes não alcoólicos a partir de uvas viníferas australianas. O suco das uvas recém-colhidas é coletado e refrigerado a 0°C para evitar a fermentação. Em seguida, é filtrado e pasteurizado dentro da garrafa. Interessante, não?

Leia muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Aprenda a harmonizar vinhos com a sua pizza preferida

Muito se fala sobre harmonizar vinhos com carnes, peixes e massas, mas você já parou pra pensar que seu sabor preferido de pizza também pede uma combinação específica? Para ajudá-lo nessa missão, selecionamos os sabores mais pedidos nas pizzarias e indicamos seu par perfeito, confira!

– Pizza de calabresa ou pepperoni + Cabernet Sauvignon

Embutidos, como calabresa e pepperoni, são bem salgados e condimentados. Eles pedem vinhos de sabor intenso, mais frutado e com taninos marcantes – portanto, nada melhor que um belo Cabernet Sauvignon! A de peperoni também combina com vinhos produzidos com a uva Riesling, ácida e de sabor discretamente adocicado.

– Pizza de mussarela + Merlot ou Chardonnay

Esse queijo é gorduroso e salgado, por isso vale a pena investir em vinhos mais leves, com alta acidez e poucos taninos. Se forem macios, melhor ainda. Entre os tintos, vá de Merlot; se preferir os brancos, escolha um Chardonnay.

– Pizza Marguerita + Sangiovese

Os vinhos produzidos com a uva Sangiovese, como os bons Chianti, são os melhores parceiros para essa pizza. Os taninos discretos, seu toque frutado e sua acidez contrastam com a gordura do queijo e acompanham as notas frutadas do tomate e heráceas do manjericão.

– Pizza de atum + vinho rosé

O atum tem um sabor forte e não é um peixe leve como os demais. A dica aqui é apostar em um rosé, não tão leve quanto um branco, mas também não tão pesado quanto um tinto. Na medida!

– Pizza de quatro queijos + Pinot Noir, Barbera ou espumante

Esqueça os taninos, eles estragariam essa intensa e harmoniosa combinação de queijos. Opte por vinhos mais ácidos, como Pinot Noirs e Barberas. Outra boa dica são espumantes, já que suas borbulhas  limpam o paladar como nenhum outro vinho. Escolha espumantes produzidos com Chardonnay e se surpreenda com o sabor dessa harmonização!

– Pizza de rúcula com tomate seco + Sauvignon Blanc

É uma pizza bem leve, que se destaca pelos toques herbáceos. A melhor opção é um Sauvignon Blanc, que é discretamente ácido e que não vai competir com o sabor da sua fatia. Pizzas de outros vegetais, como de abobrinha, também ficam uma delícia com esse vinho!

– Pizza Portuguesa + Jerez

Uma das mais difíceis de harmonizar devido à grande quantidade de ingredientes. Um dos únicos vinhos capazes de harmonizar ovo, e que ainda vai conversar bem com o presunto, é o Jerez, bem seco, ácido e com notas minerais, salinas e amendoadas. Um Merlot também pode cair bem.

– Pizza de frango com catupiry + vinho rosé ou Pinot Noir

O vinho escolhido deve aguentar a gordura e corpo do queijo e a delicadeza do frango. Opte  por vinhos rosés ou Pinot Noir – ambos possuem corpo leve e discreta acidez.

– Pizza de cogumelos + Carménère

Para destacar o sabor de cogumelos frescos, como o shimeji, o shitake, e até mesmo o champignon, nada melhor que um vinho terroso, como o Carménère.

– Pizza Baiana + Gewürztraminer

Para pizzas apimentadas, experimente vinhos produzidos com a uva branca Gewürztraminer. Vinhos da uva Syrah, que possuem leves notas frutadas e frescas em seu aroma e paladar, também vão bem.

– Pizzas doces

Pizzas doces pedem vinhos também mais doces, então a dica é harmonizar com um vinho de sobremesa, um vinho do Porto ou os espumantes Moscatel ou Asti.

E aí, gostou das dicas? Então, escolha sua pizza favorita e bom apetite!

Beber vinho pode prevenir depressão

Boa notícia para os amantes de vinho: um estudo realizado por cientistas espanhóis e publicado pela revista BMC Medicine apontou que o consumo de vinho pode estar relacionado a menores taxas de depressão.

Os pesquisadores colheram dados de 5.505 homens e mulheres e descobriram que o consumo entre duas e sete taças da bebida por semana diminuiria as chances de desenvolver a doença em 32%. A explicação estaria relacionada à presença de resveratrol, substância dotada de propriedades neuroprotetoras.

Mas lembre-se: para ser saudável, o consumo deve ser moderado! 🙂

Vinhos do mundo: os renomados vinhos dos Estados Unidos

Os Estados Unidos produzem alguns dos melhores vinhos do mundo. O país ocupa a quarta posição no ranking de principais produtores em volume, ficando atrás apenas da França, Itália e Espanha. O total de vinhedos americanos chega a 4.500 km2, colocando-os em 5º lugar no mundo.

As regiões de maior importância para a vinicultura do país concentram-se na Costa do Pacífico. Entre as principais áreas estão a Califórnia e os estados de Washington e Oregon. Oregon, de clima mais frio, é conhecido pela produção de ótimos Pinot Gris, Pinots Noir e Chardonnay. Em Washington, o destaque fica com a uva Riesling.

A Califórnia é um capítulo à parte. Ela é responsável pela produção de 90% de todo o vinho norte-americano. Cerca de 100 tipos de uvas são cultivados na região, como Pinot Noir, Merlot e Chardonnay, mas os destaques são a Cabernet Sauvignon (depois da França, os melhores rótulos estão lá) e a Zinfandel, considerada patrimônio nacional. A maior parte dos vinhos produzidos é classificada como de mesa, espumante ou de sobremesa

De maneira geral, o clima na Califórnia pode ser classificado como tipicamente mediterrâneo com dias ensolarados e noites frescas, mas grande parte dessas regiões tem seu microclima específico, o que facilita o cultivo de uvas ou a produção de tipo de vinhos de forma muito particular – cada região acaba se especializando em uma determinada variedade de uva ou vinho por causa disso. A cultura enogastronômica da Califórnia é fortíssima. A cada ano, ela recebe cerca de 20 milhões de visitantes!

Napa Valley e Sonoma Valley são as duas principais regiões de produção vinícola na Califórnia – somente nelas existem mais de 800 vinícolas. A região da Napa é a principal região vinícola do Estado e produz vinhos de categoria elevada. Sonoma, por sua vez, é conhecida por fornecer uvas de grande qualidade para a produção de vinhos em outras regiões.

Ao contrário de muitas das regiões europeias, nos Estados Unidos os rótulos dos vinhos trazem indicações sobre as variedades de uvas utilizadas, sendo menos restritivo em relação aos métodos de produção adotados.

Venha ao Empório e experimente vinhos norte-americanos deliciosos!

Vinhos do mundo: Uruguai e seus vinhos de personalidade

O Uruguai é o quarto maior produtor de vinhos do continente americano. Suas primeiras uvas viníferas foram cultivadas há mais de 250 anos, mas a produção da bebida só começou a ser realizada comercialmente na segunda metade do século XIX. Na década de 1970, houve uma renovação na vitivinicultura local: foram introduzidas novas técnicas de plantio e cultivo, bem como novas variedades de uvas, que possibilitaram um desenvolvimento substancial à indústria.

Atualmente, além da qualidade de seus terroirs com clima mediterrâneo e solo fértil, há uma gama de variedades plantadas que elevaram o padrão do vinho. A maneira artesanal e a relação respeitosa que os produtores têm com as uvas que cultivam tornaram seus vinhos premiados e reconhecidos no mercado internacional. Na maioria das vezes, eles são quase espelho de seus criadores, carregando em suas notas de degustação o DNA do produtor.

O Uruguai possui três regiões que se destacam na produção de vinhos: Canelones, região que concentra a maior parte da produção, localizada próxima à capital, Montevidéu; Colônia, onde está localizada a vinícola mais antiga do Uruguai, a Bodega Los Cerros de San Juan; e Maldonado, mais nova região produtora de vinhos do Uruguai e situada próxima a uns dos balneários mais famosos e visitados do Uruguai, Punta Del Este.

A Tannat, casta originária do sul da França, é a principal uva do Uruguai e da qual se produzem os melhores vinhos, graças à ótima adaptação ao solo e clima da região. As características principais dos Tannat são os taninos suaves e macios, boa estrutura e uma coloração atraente. Seu cultivo não é simples: os produtores precisam ter muito cuidado com a concentração de açúcar na uva e com o perfeito amadurecimento, pois esses dois fatores influenciam na adstringência do vinho. Além de ser usada para a produção de vinho varietal, os uruguaios também a utilizam na produção de vinhos de corte, sendo misturada com Cabernet Sauvignon e Merlot.

O país abriga vinhedos em toda a sua extensão – 16 dos 19 estados uruguaios possuem plantações de uvas viníferas, a maior parte de uvas tintas, que representam mais de 80% das castas cultivadas. A Tannat representa 44% das plantações, mas outras castas como a Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Pinot Noir e Sauvignon Blanc também merecem destaque.

Vá ao Empório e experimente deliciosos vinhos uruguaios! 🙂