Vinho rosé: é só pra mulher?

Vive La Diffèrence! Afinal, por que não dar uma chance ao vinho rosé?

Para gostar de vinho rosé, você deve entender que ele representa um estado de espírito, um estilo de vida. Talvez, por isso, ele tenha a fama de “vinho pra mulher”, mas… não é bem assim!

Parte do baixo consumo se deve a um pouco de preconceito, pois ainda é comum ouvir por aí que “vinho rosé é feito com vinho tinto misturado com vinho branco” ou “vinho rosé é um vinho mais simples”.

Essas duas afirmações não são verdadeiras (para nossa felicidade, é claro!). Todo vinho rosé é feito com uvas tintas. O que dá a cor ao vinho é o tempo que ele fica em contato com a casca. São vinhos jovens!

Um pouco de história: na milenar história do vinho, os vinhos claros sempre tomaram conta do cenário. Evidentemente, o termo rosé não era empregado, mas o aspecto lembrava muito essas cores rosadas, alaranjadas e as várias tonalidades assumidas pelo rosé. Além disso, era muito comum fermentarem juntas, uvas brancas e tintas.

O rosé que conhecemos hoje, nasceu na Provence (França) há, mais ou menos, 2.600 anos e são os vinhedos mais antigos da França.

É um vinho charmoso que apresenta os aromas dos tintos, de forma mais graciosa e sutil, como frutas vermelhas, groselha, alguns florais (violeta) e na boca, apresenta o frescor de um vinho branco. A cor pode variar entre o pérola e salmão, passando pelas várias tonalidades de rosa, até o rubi claro e tons alaranjados.

E adivinha? Não é um vinho caro e sim, é SEM frescura – como todo vinho, aliás!

Sabe o que combina com vinho rosé? O calor brasileiro! Se você ainda não teve chance de experimentar um bom vinho rosé, aproveite nosso clima e faça o teste!

rose2

Servido frio – entre 8° e 10°C – o rosé vai bem com aperitivos, queijos suaves, sanduíches, comida asiática, carne de porco, aves, massas com molhos suaves, saladas, salmão, atum, mariscos, frutos do mar, frutas e sobremesas.

Com certeza você descobri que o vinho rosé tem seu charme – o sabor é realmente delicioso! Claro, o que manda é o gosto pessoal, que cada um vai descobrir e cultivar com base na própria experiência.

Deixe o preconceito de lado e experimente! Com certeza, você não irá se arrepender! Tin-tin!