Vamos falar sobre tequila!

A famosa bebida mexicana é o combustível de muitas festas e comemorações. Quem não conhece o famoso  trio: tequila, sal e limão?

Pelas leis mexicanas a tequila pode ser produzida apenas no estado de Jalisco e em regiões limitadas de Guanajuato, Michoacán, Nayarit, e Tamaulipas.

Sobre o “ritual”, lambe o sal, vira o shot e chupa o limão: ninguém sabe de onde surgiu, mas diz-se que foi numa época de epidemia de gripe, onde os médicos receitaram shots de tequila e limão como tratamento. Se você fizer uma pesquisa rápida, descobrirá que no México, a bebida não é “virada” e sim apreciada em pequenos goles.

tequila

Se você acha a bebida um pouco “forte demais”, experimente o drink mais famoso envolvendo a bebida: a margarita!  Misture tequila, Cointreau®, suco de limão e cubos de gelo. Na borda do copo: sal.

margarita

Experimente!

A verdade é que, quem bebeu tequila pelo menos uma vez na vida tem alguma história pra contar. Qual a sua? Conta pra gente!

7 cervejas inusitadas que todo amante de cerveja deveria conhecer

Engana-se quem pensa que cerveja é o tipo de bebida “com receita pronta”. O universo das cervejas nos surpreende não somente pela alegria que proporciona, mas pela criatividade de quem produz.

É o que confirmam essas 7 cervejas muito diferentes, que você confere nessa lista pra lá de bizarra – e curiosa!

1. A cerveja de bacon: Voodoo Bacon Maple

Como se não bastasse o fato de ser uma cerveja feita com bacon ela ainda leva xarope de bordo – tipo mais comum de calda para as famosas panquecas americanas.

A mistura parece bastante ousada, né? Bom… quem já provou essa iguaria, diz que o sabor não decepciona.

roguebacon

 

2. A cerveja que não esquenta: Kirin Frozen

É o que garantem os japoneses que inventaram a Kirin Frozen, uma cerveja que é coberta por uma espuma congelada capaz de mantê-la gelada por até 30 minutos em ambientes de até 40ºC.

A bebida é armazenada em uma máquina que lembra as de iogurte e refrigerante, e consegue resfriar a espuma para uma temperatura até -5ºC. Segundo seus desenvolvedores, a técnica não usa gelo ou água.

kirinfrozen

 

3. A cerveja de frutos do mar: Marooned on Hog Island

Essa é uma das mais bizarras. A escolha do ingrediente, segundo seus criadores, é para dar um final mais salgado à bebida. Ela é fabricada com água onde ostras são cultivadas… essa é pra você que acha que cerveja cai super bem com um camarãozinho à beira mar.

Será?

maroond

4. A cerveja de avocado: Avocado Ale

Ela só pode ser encontrada no Angel City Brewery  & Public House em Los Angeles, na Califórnia. Mas desperta muita curiosidade pela receita.

A mesma também conta com pimentas vermelhas e alho, o que a torna praticamente uma guacamole de álcool. Vale a pena degustá-la com uma porção de nachos, não?

avocadoale

 

5. A cerveja pra amantes de gastronomia francesa: Creme Bruleé Stout

A cervejaria Southern Tier resolveu inovar e sofisticar sua produção desenvolvendo uma cerveja com o sabor da tradicional sobremesa francesa. Com 9,5% de graduação alcoólica, ela recebe notas de baunilha e pode acompanhar (e até servir de ingrediente para) diversas sobremesas.

Hmmmm! Essa é de dar água na boca, ein?

cremebrulee

 

6. A cerveja hipster de barba: Rogue Beard Beer 

Essa te fez revirar o estômago? Ela é realmente exótica, já que a cerveja tem como ingrediente principal a levedura selvagem encontrada na barba.  Mas essa barba é de ninguém menos que o mestre cervejeiro da Rogue, John Maier, que cultiva a vasta pelugem há mais de 30 anos.

Nojento? Essa é a cerveja dos corajosos!

beardbeer

E então, qual dessas cervejas você ficou afim de conhecer? Qual delas você não beberia nem por 1 milhão de dólares? Comente aqui!

Espumante sem álcool não é suco de uva

Espumantes combinam com qualquer festa e são indispensáveis para o sucesso de um evento. Casamentos, aniversários, inaugurações, comemorações… a bebida é um “tiro certo”!

Mas, se por algum motivo, você precisa abrir mão da bebida alcoólica, não se preocupe! Já existem espumantes sem álcool igualmente deliciosos.

As bebidas não-alcoólicas começaram a ser produzidas no Brasil para atingir três nichos do mercado: pessoas que não podem beber porque têm problema de saúde,  pessoas que tomam medicamentos tarja preta e pessoas que não bebem por motivos religiosos – como os muçulmanos, evangélicos e alguns espíritas. Sem contar os consumidores de terceira idade e as crianças.

Mas, não se engane. Espumante sem álcool não é suco de uva!

O Espumante Kur, por exemplo, é diferente do vinho e do suco de uva. É algo entre as duas coisas, uma saborosa bebida elaborada a partir de uma combinação de uvas e maçãs fermentadas. Na fermentação existe uma reação bioquímica que faz surgir outros aromas, outros sabores, que você encontra na bebida. Ou seja, ele apresenta o sabor requintado do espumante. O que muda realmente é o teor alcoólico, que não existe.

Sorte do motorista da noite!

Decantar vinhos (sem frescura): como e quando fazer?

Decantar o vinho pode parecer esnobe ao primeiro olhar, um charme a mais para impressionar alguém e mostrar seus conhecimentos, mas os vinhos mudaram tanto nos últimos 20 anos que o que poderia, eventualmente, ser frescura, hoje não é mais.

O ato já é bastante comum nos dias de hoje e, se você não tem o costume, pode estar perdendo tempo!

Decantar significa: deixar o vinho respirar. Liberar os aromas contidos numa garrafa – um processo que contribui de forma positiva para o seu paladar e claro, eliminar as borras acumuladas.

No decanter, o vinho entra em contato com o oxigênio que provoca uma aceleração de sua maturação, intensifica os aromas da fruta, reduz a tanicidade do vinho, evapora um pouco do alto teor alcoólico (muito comum nos dias de hoje), perde um pouco dos eventuais exageros de madeira tanto nos aromas como sabor e ganha harmonia tornando-se mais macio e menos agressivo.

Não existem regras absolutas quando se trata de decantar um vinho com o intuito de enaltecer seus aromas ou suavizá-los.

É bem menos complicado do que parece. O decanter  é muito similar a uma jarra de vidro, só que com uma base bem grande e uma abertura pequena – por ter um fundo grande, o vinho se espalha em uma superfície maior; Já a boca estreita não deixa entrar tanto ar (apesar de “abrir” o vinho, o oxigênio também pode matá-lo em questão de horas).

Quando usar o decanter?

Você não precisar decantar todo vinho que abrir! O ideal é decantar vinhos guardados há pelo menos quatro anos.

Os mais jovens podem até se beneficiar da decantação, mas não é necessário. Basta abrir a garrafa cerca de 20 minutos antes, e a sua experiência de sabor já vai ser OUTRA.

Os mais antigos já evoluíram bastante e chegaram ao seu ápice. O truque, aqui, é deixar a garrafa na vertical um dia antes do consumo. Assim, os sedimentos têm tempo suficiente para se depositarem no fundo da garrafa.

Vale a pena provar um pouquinho do vinho logo ao abrir a garrafa. Preste atenção nos  sabores – quanto mais você demorar para notar, mais podem ser decantados. O vinho seca muito a boca logo ao primeiro gole? Também vale a pena. A média é de 20 minutos a uma hora, dependendo dessa análise.

Experimente! Beba o vinho antes e depois de decantá-lo. Vale a pena!