A vinícola de Coppola na Califórnia

Você com certeza conhece Francis Ford Coppola por seus grandes filmes, como a trilogia de “O Poderoso Chefão”. Mas poucos sabem que, além disso, o cineasta também produz grandes vinhos.

Inspirado por seu avô Agostino Coppola – que produzia vinho no porão de seu apartamento em Nova Iorque – Francis seguiu com a tradição da família. Há também a glamourosa história que Coppola resolveu se aventurar no mundo dos vinhos durante um jantar, com os amigos George Lucas e Steven Spielberg, em que seu vizinho – um produtor – bateu à porta oferecendo uma garrafa a eles.

Seja qual for o motivo ou inspiração, Coppola parece refletir qualidade e bom gosto em tudo que produz.

coppola2

A vinícola parece o cenário de uma superprodução cinematográfica.
Não à toa, claro, já que o espaço foi desenhado por Dean Tavoularis, designer de produção, que trabalhou em diversos filmes de Coppola, como a famosa trilogia e “Apocalypse Now”.

O lugar é uma raridade no Wine Country californiano, e passa longe da seriedade de outras vinícolas. Num clima descontraído, que se reflete nos mais de 40 vinhos à venda, e no local que atrai pessoas e amantes de vinho do mundo todo. A Francis Ford Coppola Winery é referência mundial e parada obrigatória para quem visita a Califórnia.

Há tantas coisas para se fazer na vinícola do cineasta que a atração principal quase fica em segundo plano. Conta com restaurante, piscina, um pequeno museu e sala de degustação. Ainda é possível comprar vinhos da propriedade e molhos para massas produzidos organicamente, a partir de receitas de Francis Ford Coppola.

Além de encher os olhos, o local aguça o paladar.

Uma frase famosa sobre o diretor é que “Coppola não faz nada barato”.

De sabores excelentes, bem marcados, com qualidade de sobra, você deve se preparar para uma experiência única, somados a um passeio de tirar o fôlego.

Tudo a ver com o Brasil: Aperol Spritz

Se você ainda não experimentou ou viu por aí um Aperol Spritz chamando atenção por seu alaranjado vibrante, certamente logo, logo, verá. Também conhecido como drink da moda, tem origem italiana e já vem conquistando seu espaço no Brasil e também em outros lugares do mundo.

Na Itália ele é o mais tomado – contam que só em Veneza são entornadas 200 taças dele por minuto. O Aperol Spritz é leve, fácil de preparar e tem um quê de descontraído, podendo ser servido à tarde ou à noite; na praia ou na piscina; no bar ou em casa. Traduzindo: perfeito pra qualquer momento!

Tem um leve toque amargo por conta do Aperol, porém também um pouco de doce. A adição do espumante equilibra o sabor e faz o drinque oscilar entre o cítrico e o amargo.

A tonalidade, um laranja bem chamativo, também ajuda na difusão do drinque, que, em geral, é servido em copos baixos ou taças grandes de Bordeaux. O efeito é aquela tradicional olhadinha das mesas vizinhas que acabam perguntando para o garçom do que se trata.

Em Milão, a bebida ganhou um espaço próprio no principal ponto turístico da cidade. Com uma varanda de frente para a Duomo, o Terrazza Aperol vende mais de 300 drinks por dia. O lugar é de tirar o fôlego!

aperol1

Tudo a ver com o Brasil, a bebida é um refrescante aperitivo que vale a pena entrar pro seu happy hour! Muitos apostam que ela veio pra ficar!

Se você gosta de preparar, aqui vai a receita clássica:

Receita para um drink:

3 partes de Aperol (50ml)

2 partes de prosecco (40ml)

1 parte de àgua gaseificada (10ml)

Rodelas de laranja para decorar

Gelo

Despeje o prosecco em uma taça com cubos de gelo. Adicione o Aperol e, em seguida, um esguicho de água com gás. Deixe flutuar uma grossa fatia de laranja no topo. Ela irá infundir na bebida, dando o toque cítrico e deixando o Spritz ainda mais saboroso!

Aproveite!

 

Dê uma chance ao vinho branco

A combinação entre vinho e comida se mostra perfeita desde muitos séculos atrás. Um é o acompanhante perfeito do outro. Quando se pensa num jantar de comemoração, algum motivo em especial… se pensa em vinho.

Atualmente  no Brasil, os mais consumidos e admirados são os tintos super-encorpados, super-amadeirados e, muitas vezes, também super-caros. Mas, os verdadeiros amantes do nobre fermentado não se dividem em bebedores de vinhos tintos ou brancos. São apenas apreciadores de produtos de categoria. E ela não se exprime na cor do vinho, mas sim na qualidade do líquido, dentro de seu estilo.

Sabor intenso

Dê uma chance ao vinho branco! Sejam eles jovens e frutados ou encorpados e fermentados, são melhores quando harmonizados com peixes e frutos do mar, e quase nunca combinam com comidas muito temperadas e carnes vermelhas.

Queijos frescos e sem casca, como os cremosos, o mascarpone ou a mozarela pedem vinhos brancos leves. Assim como foundue de queijo – harmonia perfeita com um Chardonnay.

Qual escolher

Existe uma ampla gama de vinhos brancos para vários paladares e várias ocasiões. Podem ser doces, meio-doces ou secos; florais, frutados, barricados (fermentados em madeira e, portanto, com aromas de baunilha, tostados etc); leves ou encorpados.

Como exemplos de brancos leves, podemos citar: Sauvignon blanc, Pinot grigio, Torrontés e Chablis AOC. Entre alguns mais encorpados estão: vinhos barricados (fermentados em madeira) em geral, Rieslings, Chardonnay, Alvarinhos (alguns são barricados), brancos do Rhône (Chateauneuf-du-Pape, Condrieu), Chablis grand Cru.

Um dos maiores encantos do vinho é sua diversidade. Normalmente, quem gosta de vinho gosta de experimentar e está sempre em busca de novos sabores. Abdicar deste estilo é abrir mão de uma grande parte da produção mundial desta bebida, de muitas descobertas e bons momentos.

Aproveite!