Vinho pode melhorar fluência em línguas estrangeiras

Um estudo publicado pelo Journal of Pharmacology afirma que beber uma pequena quantidade de álcool pode melhorar a fluência em línguas estrangeiras.

A pesquisa, realizada por um grupo de cientistas do Reino Unido, Alemanha e Holanda, recrutou 50 falantes nativos de alemão da Universidade de Maastricht. Cada participante aprendeu a ler, escrever e falar em holandês, e passou por um exame para demonstrar seu aprendizado.

Eles foram convidados a realizar uma conversa gravada de dois minutos em holandês com um entrevistador. Antes do bate-papo, metade recebeu um pouco de água para beber, enquanto os outros receberam vinho. Após a conversa, os participantes classificaram suas próprias performances com base no vocabulário, pronúncia, escolha de palavras, compreensão, fluência e qualidade geral.

Após a conclusão dos testes, as conversas foram avaliadas por falantes nativos e aqueles que consumiram álcool foram significativamente melhores do que o grupo de controle, especialmente quando se tratava de pronúncia.

Os autores do estudo especulam que as propriedades de redução da tensão do álcool podem ajudar a aliviar a ansiedade da fala, associada a sentimentos de desconforto e apreensão ao aprender ou usar outra língua. Curioso, não?

Veja muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Pesquisa vai investigar como a rolha envelhece

Um grupo de pesquisadores da UC Davis, nos Estados Unidos, planejou um estudo que deve durar 100 anos para descobrir como a rolha de cortiça muda com o passar dos anos na garrafa.

“Basicamente, passa por uma rolha de cortiça natural um miligrama de oxigênio por ano. Um miligrama de oxigênio não parece muito, mas ele quebra 4 mg de sulfitos. A adição comum de sulfitos no engarrafamento para proteger o vinho da oxidação geralmente é de cerca de 20-25 mg/litro. Se a cada ano 1 mg de oxigênio entra e quebra 4 mg de sulfitos, após cinco ou seis anos, o vinho já não tem proteção contra a oxidação. Se você olhar para isso, você pode pensar que dentro de 20 anos o vinho pode ser destruído pela oxidação. Mas isso não é o que vemos acontecer”, argumentou o professor de viticultura e enologia, Andy Waterhouse.

Segundo Waterhouse, é possível que as rolhas sofram uma mudança celular para reduzir gradualmente o fluxo de oxigênio para zero ou perto disso. Para testar a teoria, a UC Davis está usando meio barril de Cabernet Sauvignon premium, que ficará “parado” por um século. “Engarrafamos vinho suficiente para testar três garrafas a cada período pré-determinado”, declarou.

O primeiro conjunto de três garrafas será aberto em dois anos. Os vinhos serão avaliados em relação à oxidação e ao nível de sulfitos restantes – e, claro, as rolhas também serão testadas. Os testes serão repetidos de cinco em cinco anos.

Veja muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Cientistas usam vinho para tratar doenças do coração

Cientistas da Universidade da Louisiana descobriram que é possível aproveitar o poder dos antioxidantes encontrados no vinho tinto para tratar pacientes com doenças cardíacas.

Durante o tratamento, muitas vezes um pequeno stent (tubo) é inserido no coração para garantir que o vaso sanguíneo permaneça aberto e permita o fluxo de sangue. O problema é que os stents comerciais podem liberar agentes tóxicos e atrapalhar o processo de cura.

A nova invenção dos cientistas é um stent que libera os antioxidantes do vinho lentamente na corrente sanguínea. “A liberação desses antioxidantes (resveratrol e quercetina) pode evitar que haja um acúmulo de excesso de tecido e que o vaso sanguíneo se estreite novamente. Isso inibe a coagulação e uma possível inflamação”, explica o professor Tammy Dugas.

Interessante, não?

Veja muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Linha de vinhos tem renda revertida a abrigo para animais abandonados

Os amantes dos animais vão adorar essa notícia: uma vinícola da cidade de King Ferry, localizada no norte do estado de Nova York, reverte parte da renda de uma linha de vinhos a um abrigo para animais abandonados.

A vinícola em questão é a Treleaven Wines, a linha é a Sophistocrats e a instituição é a Tompkins County Society for the Prevention of Cruelty to Animals, ligada à Society for the Prevention of Cruelty to Animals (SPCA), ONG que congrega várias entidades em prol do bem-estar animal em todo o mundo.

Na Treleaven, uma vinícola familiar de 100 mil metros quadrados, são cultivadas as uvas Chardonnay, Riesling, Pinot Noir, Gewürztraminer, Cabernet Franc e Vidal.

A Sophistocrats é composta por três vinhos de mesa, que receberam os nomes de Bruno, Charlie e Jinx. Os rótulos trazem ilustrações coloridas e divertidas de cães e gatos e as rolhas são desenhadas com figuras de pets.

O vice-presidente da vinícola, Lev Saltonstall, afirma que a ideia é que apaixonados por vinhos também abracem a causa animal e a tornem parte de suas vidas.

A iniciativa é um sucesso e fica de inspiração para outras marcas!

Linha inspirada em pets

 

Quer luxo? Na Nova Zelândia, empresa entrega champagne de helicóptero!

Olha só que coisa fina: a casa de Champagne Bollinger anunciou que agora faz entregas de helicóptero na Nova Zelândia.

A novidade foi idealizada em parceria com a empresa de transporte aéreo Heletranz. Eles a descrevem como o “primeiro serviço de entrega de champagne do mundo”.

De acordo com a empresa, o público-alvo seriam casas de luxo isoladas, localizadas em territórios remotos.

“A Nova Zelândia tem um número impressionante de pessoas com grande fortuna escondidas em pontos paradisíacos. Muitos desses locais de luxo são isolados para garantir mais privacidade e acessados somente por helicópteros, portanto esse serviço faz todo sentido”, afirma a proprietária da Heletranz, Sofia Ambler.

Chiquérrimo, não?

Veja muitas outras notícias e curiosidades sobre champagne aqui!

Ioga no vinhedo? Vinícola na Inglaterra oferece retiro aos visitantes

A vinícola Hambledon, localizada em Hampshire, Inglaterra, e a instrutora de ioga Vickie Williams se uniram para lançar uma série de retiros de ioga, cada um em uma estação do ano.

“Fizemos um mergulho para entender profundamente como as mudanças das estações se aplicam às nossas vidas”, explicou Williams. Durante o retiro de outono, por exemplo, os visitantes meditaram com foco em três coisas que realizaram durante o verão.

Em outra meditação, denominada “meditação de liberação de folhas”, eles eram questionados sobre o que estavam dispostos a soltar, simbolizando o período em que as videiras são cortadas e ficam adormecidas, reconstruindo suas reservas de energia.

Segundo a gerente da vinícola, Katrina Smith, existe uma grande sinergia entre a vinificação e a ioga, uma vez que ambas falam sobre se conectar e trabalhar em conjunto com a natureza.

O próximo retiro será realizado em 10 de junho e custará £ 85. Ele dura sete horas e também inclui um passeio pelas vinhas, almoço e degustação de vinhos.

Veja muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Acredite se quiser: som das borbulhas revela qualidade do espumante

Você sabia que o som das borbulhas do espumante pode revelar a qualidade da bebida? É o que garante um estudo realizado pela Universidade do Texas e publicado no Science Daily.  Segundo os pesquisadores, o número e o tamanho das bolhas são indicadores de qualidade: enquanto as pequenas e abundantes são um bom sinal, as grandes e menos frequentes mostram que o espumante não é tão bom quanto se imaginava.

A equipe mediu a acústica das bebidas usando um hidrófono, instrumento usado para gravar sons debaixo d’água. “As bolhas são muito ressonantes. Elas soam como sinos e a frequência desse som depende, em parte, do tamanho das bolhas”, explica Kyle S. Spratt, um dos autores do estudo.

Eles também descobriram que a taça impacta nos resultados. “A taça também é um objeto ressonante, então nosso desafio foi garantir que as características do vidro não prejudicariam as medições”, revela Spratt.

A equipe está satisfeita com as descobertas.  Spratt acredita que podem ser úteis em testes de garantia de qualidade de espumantes e outras bebidas carbonatadas. Também há a possibilidade de que a medição do som possa sinalizar falhas ou problemas que não são detectáveis apenas pelo gosto.

Veja muitas outras notícias e curiosidades sobre espumante aqui!

Vinícola da Califórnia oferece wine tour para cães

Você é do tipo que leva seu cachorro para onde for? Então, vai adorar essa notícia: na Califórnia, é possível visitar uma vinícola, a Calistoga Ranch, na companhia do seu melhor amigo.

A vinícola, que possui 157 hectares e um lago particular, oferece um passeio de três noites criado especialmente para o animal.

As atividades incluem até uma “caçada ao bacalhau defumado”! Além da brincadeira, é possível fazer trilhas ao lado do cão e até mesmo se divertir em uma festa temática.

O que achou da novidade?

Veja muitas outras notícias e curiosidades sobre vinícola aqui!

Pirulito de vinho? Empresa americana aposta em novidade

Mais uma novidade para quem ama vinhos: a empresa Lollyphile, sediada em Austin, no Texas, lançou um pirulito inspirado na bebida.

Os consumidores podem escolher entre os sabores Cabernet Sauvignon, Merlot e Chardonnay. A receita é feita a partir de uma combinação de sabores naturais e artificiais e não leva qualquer traço de vinho e nem álcool – ou seja, liberado para a criançada!

No site da empresa, um pacote com quatro pirulitos é vendido por US$ 8. Há também outros sabores, como negroni e absinto.

Leia muitas outras notícias e curiosidades aqui!

Vinhos de mesa e vinhos finos: você sabe a diferença?

Você provavelmente já deve ter ouvido os termos vinhos de mesa e vinhos finos por aí. Mas o que distingue um do outro?

A diferença entre as duas bebidas está no tipo de uva utilizado. A videira pertence ao gênero Vitis, que possui mais de quarenta espécies, entre as quais a Vitis vinifera, que, por sua vez, conta com mais de cinco mil variedades, como as famosas Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay.

Os vinhos produzidos a partir das uvas Vitis vinifera são os chamados vinhos finos e conhecidos pela sua altíssima qualidade. São límpidos e brilhantes, lembrando frutas, notas florais e uma infinidade de outras percepções, tanto no olfato quanto no paladar.

Já os vinhos produzidos a partir de outras espécies, como Vitis labrusca, Vitis rupestris, Vitis riparia e Vitis bourquina, são chamados de vinhos de mesa. Eles são mais adequados para o consumo direto e possuem qualidade inferior. Geralmente são opacos, têm aromas rústicos e paladar muito simples e intenso. Seu grande atrativo está no preço.

Lembre-se!

Antes de comprar a bebida, leia com atenção todas as informações do rótulo para se certificar de que você está escolhendo o tipo de vinho que procura.

Leia muitas outras notícias e curiosidades aqui!