Caipirinha de vinho branco e tinto? A gente te ensina a fazer!

Você provavelmente já deve ter experimentado caipirinha de cachaça (a original, claro), de vodca, de saquê… Mas e de vinho? Se nunca provou, anote essas receitas e faça o teste agora mesmo!

Caipirinha de vinho branco

Ingredientes

  • 1 xícara (chá) de vinho branco seco gelado
  • 2 colheres (sopa) de açúcar
  • 2 limões Taiti
  • Gelo e folhas de hortelã a gosto

Modo de preparo

Coloque os limões cortados e o açúcar em uma coqueteleira e esmague bem com o socador. Em seguida, adicione as folhas de hortelã, o vinho branco, o gelo e agite bem.

Caipirinha de vinho tinto

Ingredientes

  • 2 maçãs picadas
  • 1 abacaxi picado
  • 1 cacho grande de uvas tipo itália sem sementes
  • 1/2 copo (100 ml) de suco de laranja
  • 1 garrafa de vinho tinto seco
  • 1 lata de refrigerante de limão
  • 1 dose de licor de laranja
  • Açúcar e gelo a gosto

Modo de preparo

Coloque as frutas em uma jarra grande de vidro com o açúcar. Adicione os demais ingredientes e mexa bem.

Gostou? Conte pra gente!

Vinhos do mundo: os renomados vinhos dos Estados Unidos

Os Estados Unidos produzem alguns dos melhores vinhos do mundo. O país ocupa a quarta posição no ranking de principais produtores em volume, ficando atrás apenas da França, Itália e Espanha. O total de vinhedos americanos chega a 4.500 km2, colocando-os em 5º lugar no mundo.

As regiões de maior importância para a vinicultura do país concentram-se na Costa do Pacífico. Entre as principais áreas estão a Califórnia e os estados de Washington e Oregon. Oregon, de clima mais frio, é conhecido pela produção de ótimos Pinot Gris, Pinots Noir e Chardonnay. Em Washington, o destaque fica com a uva Riesling.

A Califórnia é um capítulo à parte. Ela é responsável pela produção de 90% de todo o vinho norte-americano. Cerca de 100 tipos de uvas são cultivados na região, como Pinot Noir, Merlot e Chardonnay, mas os destaques são a Cabernet Sauvignon (depois da França, os melhores rótulos estão lá) e a Zinfandel, considerada patrimônio nacional. A maior parte dos vinhos produzidos é classificada como de mesa, espumante ou de sobremesa

De maneira geral, o clima na Califórnia pode ser classificado como tipicamente mediterrâneo com dias ensolarados e noites frescas, mas grande parte dessas regiões tem seu microclima específico, o que facilita o cultivo de uvas ou a produção de tipo de vinhos de forma muito particular – cada região acaba se especializando em uma determinada variedade de uva ou vinho por causa disso. A cultura enogastronômica da Califórnia é fortíssima. A cada ano, ela recebe cerca de 20 milhões de visitantes!

Napa Valley e Sonoma Valley são as duas principais regiões de produção vinícola na Califórnia – somente nelas existem mais de 800 vinícolas. A região da Napa é a principal região vinícola do Estado e produz vinhos de categoria elevada. Sonoma, por sua vez, é conhecida por fornecer uvas de grande qualidade para a produção de vinhos em outras regiões.

Ao contrário de muitas das regiões europeias, nos Estados Unidos os rótulos dos vinhos trazem indicações sobre as variedades de uvas utilizadas, sendo menos restritivo em relação aos métodos de produção adotados.

Venha ao Empório e experimente vinhos norte-americanos deliciosos!

11 receitas deliciosas com conhaque

Certas receitas ganham um sabor todo especial graças à presença de uma bebida que tem tudo a ver com o inverno: o conhaque. Aprenda a fazer pavês, tortas e merengues maravilhosos!

Choconhaque cremoso

Ingredientes

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 litro e ½ de leite
  • 2 canelas em pau
  • 1 lata de conhaque (a mesma medida da lata de leite condensado)
  • 1 barra de chocolate ao leite (180 g)

Modo de Preparo

Derreta a barra de chocolate em fogo baixo (não precisa ser em banho-maria). Leve ao fogo o leite condensado, o leite, o achocolatado e a canela. Quando levantar fervura, desligue, retire a canela e acrescente o conhaque. Ajuste o açúcar e o conhaque a gosto. Se quiser uma receita menos doce, substitua o achocolatado por cacau em pó.

Crepe Suzette

Ingredientes

Massa

  • 1 ¼ xícara (chá) de leite
  • 2 ovos
  • 1 colher (sopa) de margarina derretida
  • 1 colher (sopa) de licor de laranja
  • 1 ½ xícara (chá) de farinha de trigo peneirada
  • 1 colher (café) de sal
  • Óleo para untar

Molho

  • ½ xícara (chá) de margarina
  • ½ xícara (chá) de açúcar
  • ½ xícara (chá) de suco de laranja
  • 1 colher (sopa) de suco de limão
  • 2 colheres (sopa) de licor de laranja
  • ¼ xícara (chá) de conhaque

Modo de Preparo

Para a massa: bata no liquidificador o leite, os ovos, a margarina, o licor de laranja, a farinha de trigo e o sal. Despeje em uma tigela, cubra com uma tampa e deixe descansar por 40 minutos. Pincele um pouco de óleo em uma frigideira e aqueça-a. Coloque uma concha da massa do crepe na frigideira de forma que fique uma camada fina. Frite até a borda ficar levemente dourada. Vire-a e doure a outra parte. Repita o processo até que a massa termine. Em seguida, dobre cada crepe em quatro partes, formando um triângulo. Reserve.

Para o molho: leve ao fogo brando a margarina, o açúcar, o suco de laranja e de limão e mexa até derreter. Junte o licor de laranja e os crepes. Cozinhe por 3 minutos e vire de lado. Despeje o conhaque, acenda a mistura com um fósforo e deixe flambar.

Fondue de Chocolate com Conhaque

Ingredientes

  • 170 g de chocolate meio amargo
  • 110 g de creme de leite fresco
  • 60 g de leite
  • 30 ml de conhaque
  • 50 g de açúcar
  • Frutas para acompanhar

Modo de Preparo

Primeiro, ferva o leite, o creme de leite e o açúcar. Depois, adicione o chocolate picado e deixe ferver.  Observe a mistura até ela ficar com uma espessura cremosa e brilhante. Desligue o fogo, adicione o conhaque e pronto! Mergulhe as frutas em formato de cubinhos pequenos ou você também pode optar por petiscos como suspiro, marshmallow e paçoca.

Charlote de chocolate e uva

Ingredientes

  • 200 g de uva-itália
  • 500 g de chocolate ao leite
  • 10 g de gelatina incolor em pó
  • 2 colheres (sobremesa) de conhaque
  • 4 ovos
  • 300 g de cookies
  • 250 g de creme de leite fresco batido em ponto de chantilly
  • Uvas para decorar
  • Cacau em pó para polvilhar

Modo de preparo

Tire a pele e as sementes das uvas. Amasse-as com um garfo e reserve. Derreta o chocolate em banho-maria e deixe esfriar. Junte a gelatina preparada de acordo com as instruções da embalagem, o conhaque, a uva e, por último, as claras em neve (descarte as gemas). Forre com filme plástico uma forma com capacidade de cerca de 1 litro. Forre as laterais da forma com os cookies, coloque o creme e cubra com outra camada de cookies grosseiramente quebrados. Pressione um pouco para o creme se acomodar. Leve a forma à geladeira por, no mínimo, 8 horas. Desenforme, cubra com o chantilly, decore com uvas e polvilhe o cacau.

Suflê de chocolate com ameixa

Ingredientes

  • 300 g de ameixas secas pretas sem caroço cortadas ao meio
  • 1 xícara (chá) de água
  • 1 colher (chá) de amido de milho
  • 2 colheres (sopa) de conhaque
  • 150 gramas de chocolate meio amargo picado
  • 3 colheres (sopa) de creme de leite fresco
  • 6 ovos
  • 2 colheres (sopa) de açúcar

Modo de preparo

Unte 8 travessas pequenas de cerâmica com margarina e polvilhe levemente o açúcar. Em uma panela, coloque a ameixa na água e deixe cozinhar. Acrescente o amido de milho dissolvido em um pouco de água e cozinhe por mais 1 minuto ou até engrossar. Em seguida, junte o conhaque e divida a mistura entre as travessas. Aqueça o forno em temperatura alta (200 ºC). Derreta o chocolate em banho-maria junto com o creme de leite. Separe as claras e as gemas dos ovos. Reserve-as separadamente. Bata as gemas com o açúcar até que fiquem esbranquiçadas e adicione ao chocolate derretido. Acrescente as claras em neve. Complete as travessas com a mistura e coloque-as em uma assadeira. Asse durante 15 minutos ou até que cresçam e estejam firmes.

Pavê de café

Ingredientes

  • 5 gemas
  • 200 g de requeijão
  • 100 g de açúcar de confeiteiro
  • 3 claras
  • 1/2 xícara (chá) de açúcar
  • 1 colher (sopa) de conhaque
  • 1 1/2 pacote de biscoito champanhe
  • 2 xícaras (chá) de café forte pronto sem açúcar
  • 250 gramas de chantilly
  • Chocolate em pó para decorar

Modo de preparo

Bata as gemas com o requeijão e o açúcar de confeiteiro até a mistura ficar bem homogênea. Bata as claras em neve, junte o açúcar e o conhaque e bata mais. Reserve. Umedeça ligeiramente os biscoitos no café e faça camadas alternadas em um refratário ou tigelas individuais de bolacha champanhe, creme de requeijão e claras em neve. Repita o processo até terminarem os ingredientes e decore com o chantilly e o chocolate em pó peneirado.

Toffee cremoso

Ingredientes

  • 1/2 xícara (chá) de açúcar
  • 1 litro de leite
  • 1/4 xícara (chá) de amido de milho
  • 1 colher (chá) de noz-moscada
  • 4 colheres (sopa) de conhaque
  • 1 xícara (chá) de amendoim torrado sem pele
  • 1/4 xícara (chá) de farinha de mandioca
  • 1/4 xícara (chá) de açúcar

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o açúcar e leve ao fogo médio (160 ºC), mexendo vez ou outra por 3 minutos ou até caramelizar. Junte o leite, sem parar de mexer, até dissolver o caramelo. Retire um pouco da mistura de leite e junte o amido. Misture até dissolvê-la e acrescente-a ao leite na panela. Mexa bem e adicione a noz-moscada. Deixe ferver até engrossar ligeiramente. Acrescente o conhaque e misture. Em uma panela, misture todos os ingredientes e leve ao fogo médio, mexendo até obter uma farofa dourada. Sirva sobre a bebida quente.

Pavê de tiramissu com banana grelhada

Ingredientes

  • 6 banana cortadas ao meio no sentido horizontal
  • 3 colheres (sopa) de margarina
  • 2 xícaras (chá) de creme de leite fresco
  • 4 colheres (sopa) de açúcar
  • 2 potes de cream cheese
  • 1 pacote de biscoito champanhe
  • 1 xícara (chá) de café
  • 2 colheres (sopa) de conhaque

Modo de preparo

Em uma grelha antiaderente, aqueça a margarina e doure as bananas. Reserve. Bata o creme de leite com açúcar até dar ponto de chantili. Na batedeira, bata o cream cheese e misture o chantilly. Em taças individuais ou em um refratário, intercale camadas de biscoitos umedecidos na mistura de café com conhaque, creme e banana grelhada. Sirva bem gelado.

Torta de paçoca e chocolate

Ingredientes

  • 12 paçocas-rolha
  • 3 colheres (sopa) de leite
  • 250 g de chocolate ao leite picado
  • 250 g de chocolate meio amargo picado
  • 1 xícara (chá) de creme de leite
  • 1 colher (sopa) de glucose de milho ou mel
  • 1 colher (sopa) de conhaque
  • 1 colher (sopa) de margarina
  • 1 colher (sopa) de gelatina incolor
  • 3 colheres (sopa) de água

Modo de preparo

Amasse as paçocas e misture-as ao leite. Forre com essa mistura o fundo e as laterais de uma forma de aro removível de 18 cm de diâmetro e leve ao forno preaquecido por 5 minutos. Retire do forno e reserve. Coloque os chocolates picados e o creme de leite em um refratário e leve ao banho-maria, mexendo até que o chocolate esteja derretido. Misture a glucose de milho ou mel, o conhaque e a margarina. Cubra e leve à geladeira por 30 minutos. Bata na batedeira, acrescentando a gelatina hidratada e dissolvida na água. Coloque o recheio sobre a base da torta e leve à geladeira até que esteja firme. Sirva gelada salpicada com paçoca ou amendoim moído.

Merengue trufado

Ingredientes

  • 1 lata de creme de leite
  • 350 g de chocolate branco picado
  • 2 colheres (sobremesa) de mel
  • 3 colheres (sopa) de cereja em conserva picada
  • 300 g de chocolate ao leite picado
  • 1 colher (sobremesa) de conhaque
  • 1 pão de ló de chocolate cortado em fatias
  • 2 claras
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 1/2 xícara (chá) de água

Modo de preparo

Aqueça 1/2 lata de creme de leite até iniciar fervura. Junte o chocolate branco e misture bem, até que esteja derretido. Acrescente 1 colher (sopa) de mel e a cereja picada. Reserve. Derreta o chocolate ao leite com 1/2 lata de creme de leite da mesma forma. Acrescente 1 colher de mel, o conhaque, misture e reserve. Bata as claras em neve. Em uma panela, coloque o açúcar e a água. Leve ao fogo brando (160 ºC) e deixe ferver até o ponto de calda fina. Aos poucos, despeje a calda ainda quente nas claras em neve e continue batendo na velocidade máxima até dar ponto de marshmallow. Conserve-o na geladeira durante a montagem do merengue. Forre com papel-alumínio um recipiente fundo e redondo. Disponha as fatias de pão de ló até forrar a forma. Molhe com um pouco da calda da cereja e espalhe uma porção de recheio. Cubra com as fatias de pão-de-ló e umedeça com a calda. Repita, terminando com o pão-de-ló. Cubra com papel-alumínio e deixe gelar por 6 horas. Desenforme e cubra com marshmallow.

Pavê de chocolate com laranja

Ingredientes

  • 3 xícaras (chá) de leite
  • 1 xícara (chá) de açúcar de confeiteiro
  • 2 ovos
  • 2 colheres (sopa) de amido de milho
  • 3 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 200 g de damasco picado
  • 1 colher (sopa) de conhaque
  • 1 pacote de biscoito champanhe
  • 1 xícara (chá) de suco de laranja
  • 100 g de noz picadas
  • 50 g de amêndoas laminadas

Modo de preparo

No liquidificador, bata o leite, o açúcar de confeiteiro, as gemas dos ovos (descarte as claras), o amido e o chocolate. Transfira para uma panela e mexa sem parar até engrossar. Deixe amornar. Em uma tigela, coloque os damascos picados (reserve um pouco para decorar) e misture o conhaque. Em taças individuais ou em um refratário, alterne camadas de biscoito umedecidas com o suco de laranja, o creme de chocolate, o damasco e salpique as nozes. Repita o processo até terminar os ingredientes. Cubra com filme plástico e leve à geladeira. Na hora de servir, salpique as amêndoas, o damasco reservado e polvilhe um pouco de açúcar de confeiteiro.

 

8 receitas de cremes deliciosos para espantar o frio

Nada melhor que um caldinho para se aquecer nesse inverno, não é mesmo? A seguir, selecionamos oito receitas pra lá de saborosas para você experimentar, escolha a sua preferida e bom apetite!

Creme de batata

Ingredientes

  • 5 batatas sem casca cortadas em cubos grandes
  • 1 cebola grande picada em cubos grandes
  • 3 dentes de alho
  • 1,5 l de caldo de legumes
  • 1 caixinha de creme de leite
  • 1 folha de louro (opcional)
  • Sal e pimenta a gosto
  • Salsinha picada para decorar
  • Azeite para refogar

Modo de preparo

Em uma panela funda, aqueça um pouco de azeite e refogue a cebola em fogo baixo até que fique transparente. Adicione o alho e refogue por mais alguns minutos. Coloque as batatas e a folha de louro e cubra com o caldo de legumes. Deixe cozinhando em fogo alto, por aproximadamente 15 minutos sem mexer, até que o caldo seque e as batatas grudem um pouco no fundo. Verifique se as batatas estão cozidas, abaixe o fogo, coloque mais um pouco de caldo e misture bem para desgrudar as batatas e todo o sabor do fundo da panela. Retire a folha de louro, bata as batatas já cozidas em um liquidificador e volte o creme para a panela. Coloque mais um pouco de caldo para que a sopa fique na consistência desejada. Junte o creme de leite e tempere com sal e pimenta a gosto. Deixe levantar fervura e sirva com mais um pouco de creme e salsinha por cima.

Caldo verde

Ingredientes

  • 5 batatas sem casca picadas em cubos grandes
  • 1 cebola grande picada em cubos grandes
  • 3 dentes de alho picados
  • 1 paio inteiro com pele
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 5 folhas de couve finamente fatiadas
  • 1 litro de caldo de legumes
  • Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, aqueça o azeite e refogue a cebola. Junte o alho e refogue até dourar. Coloque as batatas e o paio, cubra com caldo de legumes e tempere com sal e pimenta. Deixe cozinhar por 25 minutos ou até que as batatas estejam bem macias. Se necessário adicione mais caldo. Separe o paio, retire a pele e fatie em rodelas. Reserve. Bata as batatas com um mixer na panela mesmo até que vire um creme. Você também pode bater num liquidificador. Verifique se precisa de mais sal e pimenta. Quando o caldo voltar a ferver, junte a couve e o paio já fatiado, deixe cozinhar por mais 3 minutos e sirva.

Creme de tomate

Ingredientes

  • 4 tomates italianos maduros
  • 1 cebola
  • 1 dente de alho
  • 1 xícara de caldo de legumes
  • 3 colheres de sopa de creme de leite
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher de sopa de vinagre balsâmico
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • Folhas de manjericão para decorar

Modo de Preparo

Corte os tomates, a cebola e o alho grosseiramente. Coloque em uma forma e regue com o azeite, o vinagre e tempere com sal e pimenta do reino. E Leve para o forno preaquecido a 200 ˚C por 40 minutos. Ainda na assadeira, junte um pouco do caldo de legumes e dê uma mexida para liberar todos os sabores que ficaram na forma. Transfira os legumes assados para o liquidificador e se necessário coloque mais caldo. Bata até que vire um creme homogêneo. Coloque a sopa em uma panela e leve ao fogo baixo. Se quiser uma sopa mais liquida coloque mais caldo, se gostar mais grossinha é só esperar ferver, temperar a gosto e juntar o creme de leite. Sirva com folhas de manjericão frescas e uma torradinha.

Creme de Abóbora

Ingredientes

  • 500 g de abóbora pescoço em cubos
  • 500 ml caldo de legumes quente
  • 2 colheres de sopa de cebola picada
  • 1 dente de alho picado
  • 1 cenoura pequena picada
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • 3 colheres de sopa de cream cheese
  • 1 pitada de pimenta caiena
  • 1 colher de sopa de azeite

Modo de Preparo

Em uma panela média, aqueça o azeite. Refogue a cebola por alguns minutos, junte o alho e doure. Adicione a cenoura e misture bem. Coloque a abóbora, dê uma boa mexida e cubra com o caldo de legumes. Assim que levantar fervura, diminua o fogo e deixe cozinhando até que a abóbora fique bem macia. Tempere com sal e pimenta do reino e bata tudo com a ajuda de um mixer. Você também pode usar o liquidificador. Se necessário adicione um pouco mais de caldo de legumes. Deixe cozinhando por mais uns 10 minutos, mexendo as vezes. Coloque o cream cheese e a pimenta caiena. Misture bem e cozinhe por mais 5 minutos. Sirva em pequenas porções como entrada ou em uma tigela grande para uma refeição.

Creme de mandioquinha com bacon

Ingredientes

  • 4 mandioquinhas descascadas e cortadas em pedaços pequenos
  • 2 dentes de alho picados
  • 1 pires de bacon magro picado
  • Salsinha, sal e pimenta a gosto
  • 4 colheres de sopa de creme de leite

Modo de preparo

Coloque o bacon picado sobre 2 folhas de papel toalha e leve ao microondas em potência máxima por 1 minuto para ficar bem sequinho. Reserve. Coloque a mandioquinha picada em uma panela e cubra com água até passar 2 dedos. Deixe ferver até ficar bem molinha. Em seguida, bata a mandioquinha com metade da água do cozimento no liquidificador ou use um mixer. Vá acrescentando o restante da água até que fique na consistência desejada (usei quase toda a água). Refogue o alho picado em 2 colheres de azeite em fogo baixo sem deixá-lo dourar, acrescente a mandioquinha batida e tempere. Usei sal e pimenta branca. Deixe ferver por 1 minuto, desligue o fogo e acrescente o creme de leite. Antes de servir polvilhe o bacon picado e a salsinha.

Creme de Queijo

Ingredientes

Para o creme de queijo:

  • 30 g de gorgonzola em cubos
  • 50 g de provolone em cubos
  • 100 g de parmesão ralado
  • 2 colheres de sopa de requeijão ou 100 ml de creme de leite fresco
  • 50 g de muçarela em cubos
  • Sal a gosto
  • 400 ml de molho bèchamel
  • Salsinha e cebolinha picadas (opcional)

Para o bèchamel:

  • 2 xícaras de leite
  • 1 talo de salsão
  • 1 folha de alho poró
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 2 colheres de sopa rasas de farinha de trigo
  • Sal, noz moscada e pimenta do reino branca a gosto (opcional)

Modo de preparo

Bèchamel: aqueça o leite com o salsão e o alho-poró em uma panela pequena. Quando começar a ferver desligue, coe e reserve. Em uma panela média, em fogo baixo, derreta a manteiga e adicione a farinha de trigo. Misture bem com uma colher de pau ou fouet. Quando começar a borbulhar, retire a panela do fogo e vá adicionando o leite aos poucos e mexendo sempre para não empelotar. Volte a panela para o fogo e mexa até engrossar. Tempere com sal, pimenta e noz moscada.

Creme de queijo: acrescente ao bèchamel já pronto, o creme de leite fresco (ou requeijão) e os queijos, menos a muçarela. Misture bem até derreter o queijo. Ajuste o sal. Leve ao fogo baixo até que engrosse. Coloque metade da muçarela e misture. Sirva com os pedaços da muçarela, parmesão ralado, salsinha e cebolinha.

Creme de palmito

Ingredientes

  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 cebola pequena ralada
  • 1 xícara (chá) de palmito
  • 1 1/2 colher (sopa) de farinha de trigo
  •  3 xícaras (chá) de leite
  • Sal e noz-moscada a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, coloque a manteiga e leve ao fogo até derretê-la. Junte a cebola e o palmito, já escorrido e picado, e refogue até a cebola ficar transparente. Polvilhe com a farinha e misture bem. Aos poucos, junte o leite, mexendo sempre até obter um creme grosso. Bata no liquidificador e ponha o creme novamente na panela. Tempere com sal e a noz-moscada. Aqueça bem e sirva em seguida.

Creme de Milho Verde

Ingredientes

  • 1 lata de milho verde escorrido
  • 1 xícara(s) de chá de água
  • 2 colher(es) de sopa de amido de milho
  • 2 xícara(s) de chá de leite desnatado
  • 3 colher(es) de sopa de margarina
  • 1/2 maço pequeno de brócolis picado
  • 1 colher de chá de sal

Modo de preparo

Bata no liquidificador o milho, a água e o amido de milho. Passe na peneira. Coloque o líquido em uma panela, junte o leite e a margarina. Leve ao fogo médio, mexendo sempre, até levantar fervura. Junte o brócolis e cozinhe por mais 10 minutos ou até que ele fique macio, mexendo de vez em quando. Tempere com o sal e sirva em seguida. Se desejar, bata no liquidificador apenas a metade do milho verde e acrescente o restante no final do cozimento.

Vinhos do mundo: Uruguai e seus vinhos de personalidade

O Uruguai é o quarto maior produtor de vinhos do continente americano. Suas primeiras uvas viníferas foram cultivadas há mais de 250 anos, mas a produção da bebida só começou a ser realizada comercialmente na segunda metade do século XIX. Na década de 1970, houve uma renovação na vitivinicultura local: foram introduzidas novas técnicas de plantio e cultivo, bem como novas variedades de uvas, que possibilitaram um desenvolvimento substancial à indústria.

Atualmente, além da qualidade de seus terroirs com clima mediterrâneo e solo fértil, há uma gama de variedades plantadas que elevaram o padrão do vinho. A maneira artesanal e a relação respeitosa que os produtores têm com as uvas que cultivam tornaram seus vinhos premiados e reconhecidos no mercado internacional. Na maioria das vezes, eles são quase espelho de seus criadores, carregando em suas notas de degustação o DNA do produtor.

O Uruguai possui três regiões que se destacam na produção de vinhos: Canelones, região que concentra a maior parte da produção, localizada próxima à capital, Montevidéu; Colônia, onde está localizada a vinícola mais antiga do Uruguai, a Bodega Los Cerros de San Juan; e Maldonado, mais nova região produtora de vinhos do Uruguai e situada próxima a uns dos balneários mais famosos e visitados do Uruguai, Punta Del Este.

A Tannat, casta originária do sul da França, é a principal uva do Uruguai e da qual se produzem os melhores vinhos, graças à ótima adaptação ao solo e clima da região. As características principais dos Tannat são os taninos suaves e macios, boa estrutura e uma coloração atraente. Seu cultivo não é simples: os produtores precisam ter muito cuidado com a concentração de açúcar na uva e com o perfeito amadurecimento, pois esses dois fatores influenciam na adstringência do vinho. Além de ser usada para a produção de vinho varietal, os uruguaios também a utilizam na produção de vinhos de corte, sendo misturada com Cabernet Sauvignon e Merlot.

O país abriga vinhedos em toda a sua extensão – 16 dos 19 estados uruguaios possuem plantações de uvas viníferas, a maior parte de uvas tintas, que representam mais de 80% das castas cultivadas. A Tannat representa 44% das plantações, mas outras castas como a Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Pinot Noir e Sauvignon Blanc também merecem destaque.

Vá ao Empório e experimente deliciosos vinhos uruguaios! 🙂

Vinhos do mundo: o ressurgimento do vinho do Marrocos

A história do Marrocos na vinicultura tem origem com os fenícios, mas a atividade em escala comercial começou somente em 1912, com a chegada de colonos franceses. Durante a primeira metade do século, o país foi considerado um importante produtor de vinho, porém, na segunda metade, ao se tornar independente da França, encontrou resistências no mercado e viu sua produção declinar – o fato de possuir uma população majoritariamente muçulmana também contribuiu para a ausência de demanda.

Felizmente, de algumas décadas pra cá, o país recebeu investimentos estrangeiros que ajudaram a indústria a se desenvolver e a ganhar visibilidade mundial. Hoje, o Marrocos é a principal aposta vitivinícola do Norte da África e considerado o melhor em potencial natural para a produção de vinhos de qualidade, devido às suas altas montanhas.

A maior produção marroquina, e a de maior destaque, é a de vinho tinto. Estima-se que represente 75% do total. Os melhores vinhos são feitos nas montanhas do Atlas (Meknes e Fez) e espalhados pelo litoral. São 14 denominações de origem no país, e uma décima quinta, de maior status, chamada Coteaux de l’Atlas. As principais variedades de uvas utilizadas para a produção de vinhos são aquelas normalmente encontradas em torno do Mediterrâneo, como a Grenache, Syrah, Cabernet Sauvignon e Merlot. Os vinhos rosés também merecem destaque e representam o segundo estilo mais produzido no país.

Que tal vir degustar um belo vinho marroquino no Empório?

 

9 receitas de sobremesas com licor de Amarula

Adorado por muitos, o licor de Amarula é feito a partir da fruta selvagem marula, encontrada apenas na África subsaariana. É o único licor cremoso com uma bebida de base que passa mais de dois anos sendo destilada e amadurecida e já está há 28 anos no mercado! Para saboreá-lo de uma maneira diferente, selecionamos nove receitas deliciosas com a bebida, confira:

Creme papaya

Ingredientes

  • 1 mamão papaya
  • 60 ml de Amarula
  • 2 bolas de sorvete de creme
  • 5 cubos de gelo

Modo de preparo

Em um liquidificador, bata o mamão, o licor e o sorvete. Acrescente os cubos de gelo e bata mais um pouco. Sirva em taças.

Mousse

Ingredientes

  • 300g de chocolate ao leite
  • 300g de chocolate com castanha de caju
  • 100g de manteiga
  • 200 ml de creme de leite fresco
  • 50 ml de Amarula
  • 8 ovos separados em claras e gemas
  • 1 pitada de sal

Modo de preparo

Derreta os chocolates e a manteiga em fogo baixo. Remova do fogo e misture com o creme de leite fresco e o licor. Bata as gemas e comece a juntar à mistura de chocolate com manteiga, creme de leite e licor, até ficar bem homogêneo. Bata as claras com o sal até ficar firme. Junte com a mistura de chocolate, ponha em taças ou copos e leve para gelar por duas horas.

Pavê de chocolate e Amarula 

Ingredientes

  • 2 latas de leite condensado
  • 5 e 1/2 colheres (sopa) de chocolate em pó ou cacau em pó
  • 1 colher (sopa) de margarina
  • 1 lata de creme de leite
  • 1 pitada de sal
  • 300 ml de licor Amarula
  • 150 ml de leite
  • 1 colher (sobremesa) de café em pó solúvel
  • 1 colher (sobremesa) de essência de baunilha
  • 100 ml de leite de coco
  • 1 pacote de biscoito champagne

Modo de preparo

Faça o creme de chocolate: misture o leite condensado, 5 colheres de chocolate em pó e a margarina e faça um brigadeiro mole. Em seguida, acrescente o creme de leite, o sal e metade do licor. Desligue e reserve. Separadamente, aqueça o leite e dissolva 1/2 colher de chocolate em pó e o café. Adicione a essência de baunilha, o leite de coco e a outra metade do licor. Para montar o pavê, espalhe metade do creme de chocolate em um refratário. Molhe os biscoitos na mistura de leite, coloque-os sobre a camada de chocolate e espalhe a outra metade do creme de chocolate.

Brigadeiro de Amarula 

Ingredientes

  • 1 lata de leite condensado
  • 150 gramas de chocolate meio amargo picado
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 pitada de sal
  • 1/3 de xícara (chá) de licor de amarula

Modo de preparo

Coloque todos os ingredientes em uma panela, exceto a Amarula, e cozinhe em fogo baixo mexendo sempre. Quando começar a ferver, mexa sem parar para não queimar. Quando o brigadeiro desprender do fundo da panela, cozinhe por mais 3 minutos, adicione o licor e cozinhe mais um pouquinho só para misturar. Coloque o brigadeiro em um prato untado com manteiga e deixe esfriar. Cubra com um plástico filme e leve à geladeira por pelo menos 1 hora antes de enrolar. Passe no chocolate granulado e sirva.

Creme de Amarula com passas e sorvete

Ingredientes

  • 4 colheres (sopa) de sorvete
  • 100 ml de Amarula
  • 2 colheres (sopa) rasas de uvas passas pretas
  • Bolas de sorvete e nibs de cacau para acompanhar

Modo de preparo

Bata todos os ingrediente e sirva por cima das bolas de sorvete com o nibs de cacau.

Panna Cotta

Ingredientes

  • 1 sachê de gelatina sem sabor e incolor
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite fresco
  • 2 xícaras (café) de Amarula
  • Para a ganache:
  • 200 ml de creme de leite fresco
  • 200g de chocolate meio amargo em barra picado

Modo de preparo

Dissolva a gelatina em ½ de xícara de água. Bata no liquidificador o creme de leite fresco, o leite condensado, a Amarula e a gelatina. Coloque em forminhas e deixe na geladeira por 2 horas. Para fazer a ganache, ferva o creme de leite, tire do fogo e acrescente o chocolate. Mexa até ficar homogêneo. Use a ganache para decorar a sobremesa junto com raspas de chocolate.

Bombom de Amarula

Ingredientes

  • 300g de chocolate ao leite picado
  • 150g de creme de leite UHT 25%
  • 1 colher (sopa) de manteiga sem sal
  • 1 colher (sopa) de mel
  • 2 colheres (sopa) de Amarula
  • 350g de chocolate ao leite devidamente temperado para fazer a parte externa do bombom

Modo de preparo

Após temperar o chocolate para fazer a casca do bombom, prepare o recheio. Coloque o chocolate picado em um recipiente e reserve. Misture o creme de leite, a manteiga e o mel e leve ao microondas por 45 segundos. Misture e aqueça por mais 30 segundos. Adicione o creme de leite ao chocolate picado, misture, deixe descansar por 5 minutos e mexa vigorosamente para derreter todo o chocolate (se necessário, leve ao microondas por 30 segundos para derreter completamente o chocolate). Misture o licor e deixe esfriar por 2 horas fora da geladeira. Pegue o molde com as casquinhas já secas e prontas para rechear e com a ajuda de uma colher (ou bico com saco de confeitar) recheie os bombons quase até a borda. Cubra com chocolate as cavidades com o auxílio de uma colher, retire o excesso com a espátula e leve a geladeira por 15 minutos. Desenforme, enfeite e sirva.

Trufas de amarula

Ingredientes

  • 700g de chocolate ao leite
  • 300g de chocolate meio-amargo
  • 2 colheres (sopa) de mel
  • 2 colheres (sopa) de Amarula
  • 1 lata de creme de leite com soro

Para a cobertura

  • 500 gramas de chocolate ao leite
  • 500 gramas de chocolate meio-amargo

Modo de preparo

Corte o chocolate ao leite e o chocolate meio-amargo em pequenos pedaços e derreta-os no microondas ou em banho-maria. Acrescente o creme de leite e o licor e mexa bem até ficar cremoso. Deixe o creme descansar na geladeira por 12 horas. Após o descanso, vá fazendo as trufas do tamanho desejado com uma colher. Para a cobertura, derreta os chocolates e misture bem para esfriar. Cubra as trufas, passando-as uma a uma no chocolate. Leve à geladeira.

Pudim de Amarula

Ingredientes

  • Para a calda:
  • 4 colheres (sopa) de açúcar
  • 2 colheres (sopa) de água.
  • Para o pudim:
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de leite comum
  • 3 ovos
  • 1/4 de xícara de Amarula

Modo de preparo

Preaqueça o forno a 180 graus. Em uma panela, faça uma calda de caramelo com o açúcar e a água e, com a ajuda de uma colher de silicone, caramelize a forma de pudim. No liquidificador, bata primeiro os ovos e, em seguida, acrescente o restante dos ingredientes e bata até ficar um mistura homogênea. Coloque na forma de pudim já caramelizada e leve ao forno a 180 graus para assar em banho-maria. Quando estiver moreninho e assado, retire do forno e leve para gelar.

Vinhos do mundo: os famosos vinhos de sobremesa da Hungria

A Hungria tem no setor vitivinícola uma de suas principais atividades agrícolas. Sua história na vinicultura teve início no século IX, quando a tribo dos magiares chegou à região, mas o país só entrou para o hall dos produtores da bebida no século XVII, quando ficou conhecida como a terceira cultura vinícola mais sofisticada da Europa, perdendo apenas para França e Alemanha.

Em 1997, o país foi dividido em 22 regiões vinícolas, das quais a mais importante é a Tokaj-Hegyalja, produtora do Tokaji, o mais famoso vinho da Hungria e considerado um dos melhores de sobremesa do mundo – ele é tão importante que é citado até no hino nacional! Foi o primeiro vinho do mundo produzido com uvas botritizadas, isto é, submetidas a um fungo que resseca os bagos, aumentando seu teor de açúcar. As variedades usadas na elaboração da bebida são Furmint, Muscat Lunel, Hárslevelü e Oremus.

Outras regiões de destaque são Kunság, Csongrád e Hajós-Baja, que, juntas, produzem mais da metade dos vinhos húngaros, concentrando-se em vinhos mais simples, que atendem ao gosto da população local. Também podemos citar a área de Eger, que se destaca pela elaboração de vinhos tintos de grande prestígio, e de Villány, onde há a produção de tintos que levam cortes de uvas regionais, como o Bikavér, um dos rótulos mais famosos e admirados do país.

Atualmente, as castas mais cultivadas são originárias da França e da Alemanhã, como Chardonnay, Sauvignon Blanc, Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Pinot Noir. A Hungria também dá origem a brancos secos excelentes, de muita classe e elegância. As uvas típicas, raras e incomuns, mais importantes na Hungria são as brancas Furmint (ácida e forte) e Hárslevelû (suave e aromática), além da tinta Kadarka. Em geral, os brancos apresentam caráter intenso, com sabor de maçã verde e, quando envelhecidos, de nozes e mel.

Atualmente, o país é considerado um dos mais importantes produtores da Europa e o mais tradicional do Leste Europeu, ocupando a décima primeira posição no ranking mundial.

Ainda não conhece os vinhos húngaros? Vá ao Empório e experimente-os! 🙂

Vinhos do mundo: o milenar vinho libanês

O Líbano possui uma história de viticultura de mais de seis milênios, sendo um dos mais antigos países a produzir vinho. No entanto, muitas guerras e complicações sociopolíticas prejudicaram o desenvolvimento da produção ao longo dos séculos. Somente na década de 90 a viticultura libanesa começou a renascer, a se projetar no mercado mundial e a conquistar uma boa reputação em países exigentes como França, Inglaterra e Estados Unidos. Nessa época, o país se tornou um protetorado da França, o que foi vital para o avanço dos vinhedos. A aproximação com o país trouxe ao Líbano variedades que se adaptaram muito bem e geram os melhores vinhos do país, como Cabernet Sauvignon, Merlot, Cinsault, Syrah, Grenache e Mouvèdre.

A maioria dos vinhedos está localizada no Vale de Bekaa, de onde saem rótulos como o famoso Château Musar, considerado um dos melhores do mundo. Os vinhos da região possuem uma elegância e caráter impares, complexidade, equilíbrio, acentuada mineralidade, acidez e tanicidade. A segunda maior região produtora se localiza no norte, em Batroun, sendo também a que mais se expande. Apesar de possuir algumas cepas autóctones, como as brancas Obaideh e Merwah, com as quais é elaborada o Arak, bebida destilada típica do país, as cepas francesas dominam a viticultura libanesa. As tintas mais comuns são as internacionais Cinsault, Grenache, Carignan, Mourvèdre, Syrah, Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Petit Verdot. Entre as brancas, destacam-se Chardonnay, Muscat, Sauvignon Blanc, Sémillon e Viognier.

No início da década de 90 havia apenas quatro vinícolas no país; hoje, ele conta com 45, que produzem oito milhões de garrafas de vinhos por ano, das quais cerca de 50% são exportadas. Vale dizer que o Líbano é um dos países que menos consomem vinhos no mundo, graças à religião muçulmana, predominante entre a população – portanto, a exportação é essencial para a manutenção da viticultura libanesa.

Mais do que exótico, o vinho libanês é um produto de excelente qualidade que vale a pena ser degustado!

Saiba como montar sua primeira adega sem esforço

As adegas vêm se tornando cada vez mais populares graças à sua praticidade, à capacidade de preservação do vinho, e, claro, ao toque todo especial que dão ao ambiente. Os modelos elétricos, por exemplo, podem ser instalados em qualquer canto da casa e já viraram item recorrente em listas de casamento.

Por um curto período, é possível guardar vinhos na geladeira numa boa – o problema está no armazenamento duradouro. Isso porque a trepidação da geladeira sacode ligeiramente as garrafas, o que pode modificar as características originais da bebida ao longo do tempo. Guardá-la em armários na cozinha também não é a melhor ideia, uma vez que o liga e desliga do fogão faz a temperatura do cômodo variar muito. Com isso, a rolha se expande e se contrai várias vezes, o que oxida o vinho.

Para escolher qual modelo de adega comprar, leve em conta seu perfil de consumo. Há dois tipos de vinhos: aqueles para consumo imediato ou quase imediato; e os chamados vinhos de guarda, que ficam armazenados por mais tempo. Se você tiver apenas duas ou três garrafas de vinho tinto ou preferir vinhos brancos, rosés e espumantes, não é preciso uma adega climatizada, basta tomar alguns cuidados na hora de armazená-las, como procurar um local onde a temperatura é mais amena e longe do sol. Guardar a garrafa na horizontal também é importante para manter a umidade da rolha. No caso de vinhos tintos, o indicado é levá-los à geladeira durante uma hora antes de servi-los. Já os brancos e espumantes podem ir para um balde de gelo (lembre-se apenas de que o recipiente também deve conter água, já que só com gelo o resfriamento não será uniforme).

Se sua adega for climatizada, lembre-se de que brancos, tintos e rosés devem ser servidos em diferentes temperaturas. Como não dá para contentar todos ao mesmo tempo, a dica é manter a adega numa gradação média, em torno de 16 graus. Os vinhos que pedem alguns graus a mais, como tintos encorpados, devem ser deixados em temperatura ambiente por algum tempo para chegarem ao ponto ideal, por volta dos 18 graus. Veja dicas para uma divisão equilibrada na adega:

  • 6 garrafas:- 1 espumante, 2 brancos, 2 tintos e 1 vinho de sobremesa
  • 8 garrafas:  2 espumantes, 2 brancos, 3 tintos e 1 vinho de sobremesa
  • 12 garrafas: 2 espumantes, 2 brancos, 1 rosé, 5 tintos e 1 vinho de colheita tardia e 1 vinho do Porto
  • 16 garrafas: 4 espumantes, 4 brancos, 2 rosés, 4 tintos, 1 vinho pedro ximénez e 1 vinho do Porto